AGORA SIM: ISSO É MEDIDA DE SUCESSO NO TURISMO GLOBAL

Os gastos doa turistas estrangeiros no mundo aumentou 4% em 2018, somente nas Américas os gastos não aumentaram (apesar do número de pessoas ter crescido). Segundo um novo relatório da Organização Mundial do Turismo (OMT), em 2018, as exportações (gastos dos turistas em viagens internacionais) geradas pelo turismo internacional alcançaram US$1,7 trilhão, um aumento de 4% em relação a 2017. Esse número equivale a 29% das exportações globais de serviços e 7% das exportações totais de bens e serviços; fazendo com que o turismo internacional se consolide como um dos cinco primeiros setores a contribuir com o PIB global.

Dentro do valor atingido pelas exportações totais do turismo internacional, no ano passado, estão os gastos dos turistas nos destinos, que chegaram a US$ 1,448 bilhão, e os serviços de transporte internacional de passageiros, com US$ 256 bilhões. Ainda vale ressaltar que esse valor alcançado pelas receitas do turismo internacional representou um aumento de cerca de US$ 100 bilhões em relação ao ano anterior.

Na análise por regiões, o relatório aponta que a Ásia e o Pacífico lideraram com um crescimento de 7% nas receitas do turismo internacional, seguido pela Europa, com 5% e Américas 0%. Já o Nordeste da Ásia e a Europa Central e Oriental (ambos + 9%) foram as sub-regiões com o maior crescimento. No Brasil, em 2018, os gastos dos estrangeiros chegaram a US$  5.917 milhões, um aumento de 1,86% em relação a 2017 (Mtur, 2019). Nossa balança comercial foi negativa em US$  12.346 milhões.

Entre os maiores “gastadores” estão a França e a Rússia liderando o crescimento, com uma média de 11% cada um, seguidos pela Austrália, que registrou um aumento de 10% e ocupa a 6ª posição entre os 10 principais mercados de origem do mundo. A China, país em que os habitantes mais gastam em turismo mundial chegou a US$ 277 bilhões em gastos internacionais, enquanto os Estados Unidos, o segundo maior, US$ 144 bilhões.

No mercado internacional, de cada 5 turistas, 4 viajaram dentro de sua própria região; entendo que o foco do Brasil no mercado internacional deve combinar o aumento do volume e, principalmente, do gasto na América do Sul. Quanto aos demais países, ficar de olho nos que mais gastam e que já vem ao Brasil: EUA, França, Alemanha, Reino Unido, Canadá e Itália, por exemplo. Esse relatório mostra a importância de ter uma melhor e mais diversificada oferta de produtos e serviços no Brasil, fazer os potenciais visitantes saber o que pode ser feito por aqui, e buscar aumentar a permanência e o gasto médio dos estrangeiros. Como comentei aqui, volume não é medida de sucesso na indústria de viagens e turismo.

Gastos diminuem em junho

O mês de junho é considerado como baixa estação para o turismo, mas mesmo assim os dados divulgados ontem pelo Banco Central sobre os gastos de brasileiros no exterior e de estrangeiros no Brasil foram surpreendentes para o período. A diminuição dos gastos de viajantes brasileiros foi expressiva: – 9,78% em comparação com junho do ano passado. Mas a expectativa é que em julho, por causa das férias escolares, estes números voltem a subir.

E esta foi a primeira vez no ano que aconteceu uma queda nos gastos dos estrangeiros que viajam para o Brasil, -1,96% em relação ao mesmo período de 2011.  Um dos motivos desta alteração pode ter sido a crise nos principais mercados emissores – Espanha, Portugal, Itália e também a Argentina, onde as viagens para fora do país foram afetadas pelas recentes medidas do governo, que para evitar a fuga de dólares limitou a compra de qualquer moeda estrangeira por parte de pessoa física. Além disso, o alto custo de produtos e serviços no Brasil, uma reclamação da maioria dos visitantes, também pode ter incentivado a redução do consumo por parte de turistas internacionais.

Na média do ano, de janeiro a junho, os estrangeiros gastaram +6% no Brasil do que no mesmo período de 2011. Já os brasileiros investiram +4,5% em gastos durante viagens internacionais realizadas nos seis primeiros meses do ano.

O maior mercado turístico do mundo

A China National Tourism Administration divulgou dados mostrando que o país se tornou o maior mercado turístico do planeta. Em 2011 foram realizadas mais de 2.6 milhões de viagens. Nas viagens a lazer cerca de 2.856,8 milhões de yuans foram gastos.

Cerca de 702 milhões de pessoas viajaram ao exterior em 2011, um aumento de 22,5% no volume de passageiros, que também gastaram 30% a mais nessas viagens. Mais de 88% desse mercado fica na própria Ásia, viajando principalmente para Hong-Kong e Macau. Os demais viajantes procuram preferencialmente a Europa e a América do Norte. O Brasil recebeu cerca de 40 mil turistas chineses em 2010.

Em 2012 seguem a crescer as viagens dos chineses. Nos primeiros cinco meses desse ano 323 milhões de pessoas já viajaram ao exterior. Assim como os brasileiros, os gastos no exterior são significativos em compras, projetando um aumento de déficit anual da balança de turismo de 46,7% ( 209,7 bilhões de yuans ).

Os gastos dos chineses em produtos de luxo aumentaram entre 18 a 22%, sendo um dos maiores do mundo.