Praça do Corrossel

Louvre fecha bilheterias e restringe seu acesso

Assolado pelo número de turistas, o Museu do Louvre resolveu, sem aviso prévio, fechar suas inúmeras bilheterias e priorizar passageiros com bilhetes comprados antecipadamente.

De fato, alguns dias atrás eu passei pela Praça do Carrossel e notei que não havia a fila habitual na frente da pirâmide de vidro. Achei estranho, mas pensei que se preparavam para um evento privado excepcional.

Concomitantemente, tenho ouvido muitas reclamações sobre o difícil acesso a certas salas, especialmente a sala onde se encontra a Gioconda, obra de Leonardo da Vinci, recentemente relocada devido a reformas do museu.

O museu que recebe entre 30 e 50 mil passageiros por dia tomou a medida de fechar suas bilheterias ao público com intensão facilitar a visita daqueles que já tem seu bilhete comprado durante este momento de grande fluxo e férias escolares europeias.

O estabelecimento afirma que esta não é a primeira vez que isso acontece, porém no passado a noticia não chegava a se espalhar.
A administração assegura também que as obras em andamento e a compra antecipada deverão colaborar para a normalização da situação.

Além disso, o Museu estuda a criação de uma entrada que dê acesso somente a Gioconda, para aqueles que visitam o museu exclusivamente para admirar a renomada obra.

O site do Louvre não adverte quanto ao fechamento das bilheterias ou data de retorno à normalidade, mas aconselha a compra de entradas antecipada.

Como mencionado em post anterior sobre o assunto: a visita do Louvre ( assim como muitas outras atrações da capital francesa)  deve ser preparada com antecedência.

Fica a dica!

Published by

Silvia Helena

Após breves passagens pela Faculdade Metodista de São Bernardo e Belas Artes de São Paulo, aos 18 anos fui estudar no Canadá, onde vivi durante 23 anos. Lá me formei em História da Arte pela Universidade de Montréal, estudei turismo no Collège Lasalle de Montréal e no Institut de Tourisme et Hôtellerie du Québec. Comecei minha carreira na área trabalhando em Cuba. Durante os anos vividos no Canadá, entre outras coisas, fui guia de circuitos pela costa leste e abri minha primeira agência de receptivo para brasileiros. Há dez anos um vento forte bateu nas velas da minha vida me conduzindo até França. Atualmente escrevo de Paris, onde vivo e trabalho dirigindo a empresa de receptivo, a Holatour.

2 thoughts on “Louvre fecha bilheterias e restringe seu acesso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *