Rio Sena Paris

Ducasse sur Seine e Jules Vernes, as novidades da semana

Envolto de vidros permitindo uma excelente vista panorâmica e dotado de 130 lugares, o novo cruzeiro Ducasse sur Seine partirá do privilegiado porto de embarque Debilly em frente à Torre Eiffel, na margem direita do Rio Sena. Tendo o famoso e estrelado chefe Alain Ducasse à frente do projeto, “Ducasse sur Seine” inova o mercado de cruzeiros no Rio Sena com uma proposta ecológica e gastronômica. O barco elétrico promete menos poluição e mais silêncio, enquanto Alain Ducasse garante a qualidade superior dos produtos à mesa.

A mudança no cenário fluvial parisiense não é a única novidade. Para se dedicar ao projeto, o cozinheiro deixou o restaurante do piso superior da Torre Eiffel, o Jules Vernes, que será gerenciado a partir de agora pela empresa Sodexo. A Sodexo já detinha os direitos de gestão do restaurante 58 Torre Eiffel e do cruzeiro no Rio Sena chamado Bateaux Parisiens, duas grandes atrações da cidade, porém  a empresa acaba de encontrar um concorrente de peso. 

Com preços entre 100 e 500 euros, Ducasse-sur-Seine deve preencher seus 700 cruzeiros anuais sem dificuldade. As tarifas profissionais não foram anunciadas. Lembrando que o restaurante Jules Verne, sob a gestão de Ducasse, não dispunha de tarifas para profissionais, nos basta rezar para terem um estratégia diferenciada neste novo empreendimento. Esperemos igualmente que sob gestão da Sodexo, o Jules Verne passe a ter tarifas para nosso mercado. Vamos aguardar! Por enquanto o restaurante do segundo piso da Torre Eiffel ficará fechado até 2019 para reformas. 

As vendas ao público direto do  novo cruzeiro estão abertas no site da empresa.

Para ver a foto do barco clique aqui   Ducasse sur Seine foto barco _ Site Associação de Barcos Elétricos Francesa

Ducasse sur Seine

 

Restaurante em Paris Café Zimmer

Café Zimmer- boas histórias, excelente comida

Após a guerra de 1870 e a tomada da Alsácia pelos alemães, muitos alsacianos desejosos em manter a nacionalidade francesa migraram à Paris. Graças a essa migração, apareceram então na capital novas e grandes cervejarias com estilo tradicional da região abandonada. Chamadas em francês de Brasseries,  Zimmer, Wepler, Dreher e Bofinger são exemplos desses estabelecimentos centenários.

Em 1896, a cervejaria Zimmer  era considerada uma das mais belas da cidade. Com o seu teto recoberto de flores, vegetais pintados e altos relevos, o novo “point” se destacava ( e ainda se destaca) pela elegância e a beleza de sua decoração. O bar recebia os clientes em pufes e sofás, oferecendo um conceito revolucionário para a época.

O sucesso foi tal que a instituição teve que se expandir rapidamente. Na véspera da primeira guerra mundial, o restaurante tinha quatro andares. A sala do segundo andar do restaurante acomodava 250 pessoas e nos dois andares superiores salões privados acolhiam reuniões mais íntimas.

Além do novo conceito e decoração interior que dinamizaram a vida noturna de Paris no final do século XIX, a história do Zimmer está intimamente relacionada à cultura francesa. Nos áureos tempos da cervejaria, portas do vizinho Grande Teatro de Châtelet permitiam acesso direto aos  espectadores para o térreo e o salão do 1º andar do Zimmer. A cervejaria era então ponto de passagem de personalidades como Jules Verne, Émile Zola, Sarah Bernhardt, Claude Debussy, Henri de Toulouse-Lautrec, Richard Strauss, Arturo Toscanini, Marcel Proust, Guillaume Apollinaire, Igor Stravinsky, Nijinsky, Pablo Picasso entre outros.

E como se isso não bastasse, durante a segunda guerra mundial, os resistentes “Honra do Policial” se encontravam em seu vasto porão para reuniões secretas. Aparentemente o mesmo porão serviu de esconderijo e permitiu a muitas famílias escapar da persecução anti-semita.

Restaurante em Paris Café Zimmer

Em 2000, a sua renovação foi encomedada ao renomado decorador Jacques Garcia com objetivo de realçar a autêntica alma do lugar.

 

Cardápio Café Zimmer – Paris, Praça do Châtelet

E após ter aprendido tanta coisa em um só lugar, chegou finalmente a hora de provar a comida. (Miam Miam) Veredito? A comida estava saborosa, feita com produtos frescos e de qualidade.  Fácil entender porque é servida com sorriso e orgulho pelo simpático pessoal.

Situado em pleno coração do Châtelet, o Zimmer pode ser considerado uma das melhores “brasseries” de Paris. O cardápio é simples, porém elaborado o suficiente para termos certeza do capricho do chefe em cada prato.  Nada é comprado pronto, oriundo de uma central de distribuição.

Muitos destes antigos cafés  vivem atualmente de seu nome e ligação com o passado e se contentam em oferecer uma comida honesta. Um lugar bonito e enriquecedor, localizado em pleno centro de Paris, ao lado do Rio Sena e com comida excelente!? Recomendo !

Accueil

Novidade: ateliê Queijos e Vinhos na Galeries Lafayette

Fico feliz em compartilhar com vocês a novidade e  excelente iniciativa da Galeries Lafayette. Agora, a loja que reúne as maiores e mais importantes marcas da França e do mundo sob sua maravilhosa cúpula, oferece também uma série de atividades turísticas com temáticas bastante francesas: ateliês culinários, desfile de moda, aulas de maquiagem e até atividades esportivas.

Acredito que todas as novas atividades organizadas pela loja encontrarão um franco sucesso junto aos brasileiros, mas aposto que os ateliês culinários sobre Queijos e Vinhos e confecção de Macarons se destacarão dentre a oferta. Fui provar o ateliê de Vinhos e Queijos e adorei.

Mas atenção, a atividade “Vinhos e Queijos” não é uma festa com “comes e bebes”  e sim uma verdadeira aula sobre a produção de diferentes vinhos e queijos do território francês, suas origens, seus sabores, como consumir os dois itens e como compor um cardápio adequado.

Aula com suporte de imagens
Uma viagem através da França em imagens
Uma viagem através da França em imagens

O assunto é extenso, assim após uma simpática apresentação pessoal, o especialista Thierry Givone preenche uma hora a meia explicando, com auxilio de recursos audiovisuais e gustativos (obviamente), a riqueza de ambas as matérias. O tempo passa rápido enquanto ouvimos particularidades sobre as técnicas de produção ou anedotas sobre a cultura, visionamos detalhados quadros informativos descobrindo a França em imagens e deliciamos simultaneamente o paladar.

Workshops by GL em Paris
Durante a degustação provamos 4 vinhos e 4 tipos de queijos, mas aprendemos como combinar a bebida com alimentos variados.

Os ateliers são ofertados em inglês e francês.  Suponho que a maioria dos brasileiros prefiram o ateliê em inglês. Visto as explicações minuciosas em imagens e a degustação não é necessário um nível altíssimo de compreensão do idioma, mas, sobretudo vontade.

Um programa imperdível para quem tem interesse pela cultura local e quer levar de volta ao Brasil não somente lembranças e boas fotos, mas, sobretudo conhecimento.