Bath, locação da série da Netflix "Bridgerton"

Como é dormir em uma locação da série ‘Bridgerton’

Lady Featherington tem um objetivo na vida: casar suas três filhas. Quem já assistiu a Bridgerton, série da Netflix que estreou no Natal, sabe de quem estamos falando. Produzida por Shonda Rhimes (de Grey’s Anatomy) e inspirada nos livros de Julia Quinn, a obra de época está no topo do top 10 Brasil do serviço de streaming. Bridgerton se passa em Londres no período regencial, no início do século XIX, e mostra nobres e aristocratas britânicos às voltas com romances. A maioria dos fabulosos cenários internos foi recriada em estúdio. Já as cenas externas foram filmadas principalmente na adorável Bath. Várias no Royal Crescent, onde fica o Royal Crescent Hotel & Spa. E como é dormir em uma locação de Bridgerton?

.

Leia também: Novos hotéis de luxo previstos para abrir em 2021

Inspiração & informação: clique aqui para seguir o Instagram @HotelInspectors

Bath, Patrimônio Mundial

No sudoeste da Inglaterra, a 1h30m de Londres a partir da Estação de Paddington, Bath é muitas vezes visitada em programas de bate-e-volta. Um desperdício de tempo. Patrimônio da Humanidade pela Unesco, a cidade tem atrações o suficiente para ao menos uma ou duas noites. A arquitetura predominantemente do período georgiano está muito bem preservada.

O Royal Crescent, conjunto de 30 prédios da década de 1770 formando uma meia-lua em torno de um gramado, é um dos cartões-postais de Bath. E endereço da fachada da casa dos Featherington. Logo no primeiro episódio dá para ver bem o local, quando os personagens vão a um encontro com a rainha no qual quem brilha é a protagonista Daphne Bridgerton (Phoebe Devynour) e não a família de Lady Featherington (Polly Walker).

rOYAL cRESCENT, OBRA-PRIMA GEORGIANA

Ainda hoje cerca de um terço das construções do Royal Crescent permanecem como residências únicas. O restante foi dividido em apartamentos, com duas exceções. No Royal Crescent número 1 há um museu, previsto para reabrir em abril, que mostra como era o interior das casas locais no final do século XVIII. Já os números 15 e 16, bem no centro do semicírculo, abrigam o Royal Crescent Hotel & Spa, hotel boutique de luxo que faz a gente se sentir em um episódio de Bridgerton. Ainda não sabemos quando poderemos viajar tranquilamente para o Reino Unido e, no momento, o Royal Crescent Hotel está fechado. Mas é permitido sonhar e fazer planos para dormir em uma locação de Bridgerton.

Leia também: O que realmente mudou nos hotéis durante a pandemia

.

Como é se hospedar no Royal Crescent Hotel

O conjunto arquitetônico do Royal Crescent é considerado de Grau 1 pelo Reino Unido, o que significa que é de “interesse excepcional” e não pode ser demolido ou alterado. As duas construções ocupadas pelo Royal Crescent Hotel são de 1775 e foram meticulosamente restauradas para manter o esplendor original. Com os selos de qualidade da hotelaria de luxo Virtuoso e Traveller Made, o hotel é hoje um destino em si. Fica em uma silenciosa área residencial e a menos de 15 minutos de caminhada das principais atrações turísticas de Bath, como as Termas Romanas, a abadia do século XVI e a Pulteney Bridge sobre o Rio Avon (foto no início do texto).

Locação da série Bridgerton em Bath: Royal Crescent Hotel | Foto de Carla Lencastre
Royal Crescent Hotel em Bath | Foto de Carla Lencastre

Leia também: Novidades da hotelaria no Reino Unido

Elegância do Século XVIII, cOMODIDADES DO SÉCULO xxi

Antes uma residência, como todas as casas do Royal Crescent, o número 16 virou hotel somente em 1950. Em 1971 o número 15 foi anexado à propriedade, que recebeu o nome de Royal Crescent Hotel. Os donos mudaram ao longo das últimas décadas, mas o nome foi mantido. Os proprietários atuais assumiram o hotel na década de 2010 e fizeram novas restaurações e obras de renovação, inclusive no spa com seis salas de tratamento (com produtos naturais da grife britânica Elemental Herbology), saunas seca e a vapor e uma deliciosa piscina aquecida e coberta com 12 metros de extensão e cercada por paredes em pedra. O ambiente é do século XVIII; os confortos, do século XXI. O serviço é impecável.

Leia também: É seguro usar piscina de hotel durante a pandemia?

.

Suítes à la Bridgerton

O hotel tem 45 elegantes acomodações, com decorações únicas e banheiros em mármores. Os quartos de entrada, com 23 m² e móveis de época, podem ser um pouco apertados. Mas as 11 suítes com pé-direito alto, tetos ornamentados, lustres, bustos e pinturas a óleo valem o investimento. A sensação de dormir em um prédio de quase 250 anos é a de estar em um cenário de Bridgerton. Ainda que o ambiente seja extremamente romântico, o Royal Crescent Hotel é family friend. Há quartos interligados e outros que podem receber camas extras. O hotel oferece serviço de babysitting e maiores de 12 anos podem usar a piscina do spa.

Leia também: Como será a hotelaria de luxo na era Covid-19

.

O Royal Crescent Hotel tem ainda uma villa com quatro quartos e jardim privativo, procurada por celebridades do cinema e da música. E oferece buyout muito antes de a pandemia ter transformado em tendência a opção de reservar um hotel inteiro para você, sua família e seus amigos. Rolling Stones e U2 já fecharam o Royal Crescent Hotel apenas para convidados.

Leia também: Como é dormir com fantasmas em hotéis do Reino Unido

.

bAR, RESTAURANTE E SPA SÃO ABERTOS AO PÚBLICO

Um belo jardim separa os quartos da construção onde ficam o Dower House Restaurant, o Montagu Bar & Champagne Lounge e o spa, todos abertos ao público em geral mediante reserva. O nome do bar homenageia a socialite, incentivadora da literatura e escritora Elizabeth Montagu (1718-1800), que morou no número 16 e organizou muitos eventos literários em seus salões. No site do hotel há detalhes saborosos da história do Royal Crescent e de seus personagens, que renderiam outras séries de TV. Mas é a literatura que é parte indissociável de Bath, como bem sabem os leitores de Jane Austen. A escritora inglesa (1775-1817) viveu na cidade e a usou como inspiração e cenário em suas obras. Royal Crescent incluído.

Leia também: Como é se hospedar no Mandarin Oriental Hyde Park e no Kimpton Fitzroy, em Londres

Hotel Inspectors está no Instagram @HotelInspectors, no facebook @HotelInspectorsBlog, no Twitter @InspectorsHotel e no LinkedIn @HotelInspectors

Las Vegas e as novidades da hotelaria

Já contei aqui sobre novidades da hotelaria e os hotéis premiados no Best of Best da Virtuoso Travel Week 2019. Mas os dias do evento em Las Vegas, nos EUA, trouxeram ainda mais novidades na hotelaria internacional, incluindo diversas excitantes aberturas esperadas até o comecinho de 2021. 

A Canyon Ranch, que tem no The Venetian o maior day spa do mundo –  abre em novembro uma nova propriedade no Sillicon Valley.  A Four Seasons Hotels and Resorts, que recentemente abriu nova propriedade em Atenas, na Grécia, ainda abre este ano novos hotéis em Madri e Los Cabos  e no ano que vem em Napa Valley. Uma segunda propriedade do grupo na Cidade do México abrirá suas portas em 2021. 

Detalhe da arquitetura do Aria. Foto: Mari Campos

A Accor Hotels, que acaba de abrir o Fairmont Rio, abre ainda entre 2019 e 2020 o Sofitel DC, o Legend Panama, o So Havana, o So Los Cabos e em 2021 o Fairmont Mexico City. Os luxuosos Robertson Lodges, na Nova Zelandia, inauguraram três novas villas de quatro dormitórios no Kauri Cliffs e passarão a incluir também almoço gratuito em suas diárias a partir de dezembro. Na Nova Zelandia chegam agora também os novos hotéis The Lindis Lodge e o Park Hyatt Auckland.

Los Cabos, no México, também marcou presença para celebrar as diversas aberturas hoteleiras entre este ano e o próximo, com destaque para Zadun, a Ritz-Carlton Reserve, Nobu Los Cabos, Aman Los Cabos, Four Seasons Los Cabos at Costa Palmas, Solaz Signature e, mais para a frente, também uma SoHo House

A entrada principal para o Eataly do novo Park MGM. Foto: Mari Campos.

A hotelaria em Las Vegas também está em constante evolução, tem diversas boas novidades neste 2019 e fiz questão de testar várias delas na última semana.  O grupo MGM Resorts International trouxe várias novidades recentemente, incluindo o novo hotel Park MGM, no coração da Strip. Com pegada mais jovem e focado nos Millennials, o Park MGM é repleto de boas opções para comer e beber – com destaque para um enorme Eataly e o novíssimo Juniper Cocktail Bar (imperdível, especializado em gim, com mais de 60 rótulos da bebida de diferentes partes do mundo).

Como é se hospedar no Park MGM, o mais novo hotel de Las Vegas

Anexo ao Park MGM fica o também novo NoMad Hotel Las Vegas, que tem um belíssimo bar e um dos mais bonitos restaurantes da cidade toda: o incrível NoMad Restaurant, que serve pratos e drinks impecáveis em um salão adornado com mais de 25 mil livros diferentes em suas paredes.

O Aria Resort & Casino (meu preferido pessoal em Las Vegas, por ser talvez o hotel da cidade com mais luz natural e pés direitos sempre muito altos) continua sendo o campeão em ofertas gastronômicas, com 16 bares e restaurantes dentro da propriedade – com destaque para sua nova (e linda!) Aria Patisserie aberta o dia todo e os sempre ótimos Catch e Juan Serrano Tapas. O Aria, aliás, renovou seu lounge (cujo acesso pode ser comprado no ato da reserva ou mesmo do check in no hotel), que agora se chama Resort Lounge, com acesso do piso térreo, aberto das 7 às 20h com comidinhas e bebidas, incluindo serviço completo de café da manhã até 11h. 

O Bellagio, que sediou a Virtuoso Week 2019, continua sendo uma atração por si mesmo, e há turistas passeando pelo hotel dia e noite, o tempo todo, em toda parte. O hotel renovou suas boas opções de gastronomia, incluindo o Sadelle’s, atualmente o principal hot spot para o brunch em Las Vegas, e seu Baccarat Bar, que foi recentemente remodelado. Os restaurantes Le Cirque e Picasso fazem do Bellagio o único resort nos EUA a ter dois restaurantes com 5 estrelas na Forbes sob o mesmo teto.

As concorridas piscinas do Bellagio. Foto: Mari Campos

As Bellagio Towers, parte do portfólio da Leading Hotels of The World, têm quartos com muito mais bossa e espaço que em outras alas do hotel – e muitos deles com vista panorâmica para as famosas fontes do Bellagio, a Strip e as montanhas do deserto, então vale cacifar a diferença. E há ainda seu sempre badalado conjunto de piscinas, uma interessante Gallery of Fine Art e o hotel vem se esforçando ultimamente nas iniciativas sustentáveis e na luta contra o desperdício, doando 66 mil refeições não servidas em seus restaurantes ao ano para instituições de caridade da cidade. 

O novo Delano Las Vegas também ficou lindo e definitivamente vale a visita, nem que seja para almoçar ou jantar no delicioso Rivea, de Alain Ducasse. Além da cozinha impecável e do ótimo serviço em um ambiente descontraído e bem contemporâneo, os terraços do restaurante têm seguramente uma das mais incríveis vistas de Las Vegas.

Na hora dos bons drinks, o The Chandelier 1.5 do Cosmopolitan Las Vegas segue sendo um clássico da cidade e trouxe mudanças em seu menu de coquetéis. O The Palazzo do The Venetian trouxe o Electra, um belo bar ao lado do cassino com excelentes mixologistas – que pode ser local do pre-dinner cocktail antes de ir jantar no irretocável cantonês Mott 32. Mas a melhor novidade para os fãs de coqueteleria talvez seja o adorável Vanderpump Cocktail Garden, um verdadeiro oásis e bom ambiente, boa playlist e ótimos drinks instalado em meio ao caos usual do piso térreo do Caesar’s Palace – imperdível.

Siga também nossas redes sociais para ficar por dentro de todas elas: Instagram @ HotelInspectors,facebook @HotelInspectors e  Twitter @HotelInspectors.

Torre Eiffel vista do La Réserve Apartments Paris

Como é se hospedar no La Réserve, eleito o melhor hotel de Paris

A revista americana Travel+Leisure anunciou mês passado sua esperada lista anual dos 100 melhores hotéis do mundo. Este World’s Best Awards 2019 apresenta também rankings locais com os dez melhores hotéis de diversos destinos. Dois dos dez melhores de Paris foram considerados bons o suficiente para estarem também no ranking dos cem melhores do mundo: La Réserve Paris Hotel and Spa, em 55º lugar global (o sexto europeu mais bem classificado), e Le Meurice, da Dorchester Collection, em 89º lugar. Aos leitores da prestigiada publicação, a T+L pede que avaliem quesitos como serviço, localização e gastronomia, entre outros.

Atualização: Em outubro de 2020 os leitores da Condé Nast Traveler também escolheram o La Réserve Paris como o melhor da cidade no Reader’s Choice Awards 2020.

Leia mais: Os novos hotéis de luxo previstos para 2021

Clique aqui para acompanhar no Instagram @HotelInspectors

Aberto há apenas quatro anos, parte da associação Leading Hotels of the World e com cinco estrelas no Forbes Travel Guide, o reconhecimento do La Réserve chama a atenção. Principalmente se levarmos em conta as muitas boas opções na hotelaria de luxo em Paris. Para citar apenas outras menções mais recentes, ainda em julho, a publicação britânica Condé Nast Traveller incluiu o La Réserve no seu top 10 de “hotéis mais sensacionais de Paris”. Na semana passada o restaurante Le Gabriel, com duas estrelas Michelin, ganhou o prêmio Best of the Best 2019 de “melhor experiência gastronômica”, anunciado durante a Virtuoso Travel Week, em Las Vegas.

Leia mais: Hotéis e spas cinco estrelas na edição 2020 do Forbes Travel Guide

Gastronomia, localização e serviço são destaques do La Réserve Paris

Estive no La Réserve pela segunda vez em março deste ano, a convite do hotel. A gastronomia, a localização e a qualidade do serviço de fato se destacam. O endereço é elegante desde o século 19, na Avenue Gabriel, em frente ao Grand Palais, ao lado da Champs-Elysées e do Palais de l’Elysée (sede da República francesa) e perto das lojas de grife da Rue du Faubourg Saint-Honoré. Neste acolhedor hotel boutique com jeito de palácio, a decoração assinada pelo designer parisiense Jacques Garcia é intimista nas 40 acomodações (várias com vistas para cartões-postais da cidade; 25 suítes e 15 quartos a partir de 40 metros quadrados) e suntuosa nas áreas comuns. Meu ambiente preferido é a confortável biblioteca em tons de verde escuro, que tem ainda um bar secreto apenas para hóspedes.

Outro ponto alto deste belo hotel fica no subsolo: a piscina de 16 metros de extensão, com água aquecida, aberta 24 horas. É só chegar para nadar que as cortinas da parede de vidro que separa a piscina do restante do spa são fechadas, garantindo privacidade. Ao redor estão apenas três salas de tratamentos personalizados de rejuvenescimento com produtos suíços.

La Réserve Paris: brasserie comandada por Jérôme Banctel, chef do Le Gabriel
A brasserie comandada por Jérôme Banctel, chef do Le Gabriel | Foto de Carla Lencastre

As mesas da brasserie Le Pagode des Cos, voltadas para um jardim interno, são disputadas no almoço. O cardápio tem a assinatura do chef Jérôme Banctel, que conquistou as estrelas Michelin para o Gabriel em seu primeiro ano. Ter liberdade de pedir café da manhã no horário em que der vontade é um dos maiores luxos da hotelaria. No caso do La Réserve, o Pagode des Cos muda o menu para o almoço. Mas quem acorda mais tarde pode ser servido no próprio quarto, bien sûr, ou no bar, tranquilo durante o dia. Conforme as horas passam, é lugar para um drinque autoral ou clássico.

Quartos e suítes são decorados em estilo Haussmann com confortos tecnológicos, como iPad para controle de temperatura e iluminação. Do balcão da minha suíte via-se a cúpula do Grand Palais e, à distância, a Basílica do Sacré-Coeur, em Montmartre. No closet, confortáveis roupões em tons pastel, as peças mais vendidas do hotel. A sala de banho, em mármore de Carrara preto e branco, dispõe de chão aquecido, duas pias e banheira.

Com fachada em pedra e porta vermelha, a construção de 1854 pertenceu ao Duque de Morny, meio-irmão de Napoleão III e, no século 20, ao estilista Pierre Cardin. Hoje faz parte do exclusivo portfólio La Réserve, do empresário francês da área de hospitalidade Michel Reybier. O grupo inaugurou agora La Maison d’Estournel, em Sainte-Estèphe, a uma hora de carro de Bordeaux. É possível se hospedar também em La Chartreuse, casa na premiada vinícola Château Cos d’Estournel, residência da família de Reybier.

Com a marca La Réserve, há ainda os Apartments Paris, com serviços, na Place du Trocadéro (na foto no alto do post, a vista da Torre Eiffel é de um dos apartamentos); o Ramatuelle, no Sul da França, a 15 minutos de carro de Saint-Tropez; o restaurante À la Plage, em parceria com o designer Philippe Starck, em Pampelonne, também na região de St-Tropez), e o Genève, na Suíça, o pioneiro. Para o final do ano está previsto o Eden au Lac Zurich. Tanto os apartamentos quanto os hotéis têm o exclusivo selo Traveller Made.

No Instagram @HotelInspectors, no destaque Paris, há outras imagens do La Réserve, incluindo vídeos.

Clique aqui para ler tudo o que publicamos sobre hotelaria e pandemia

Leia mais

Hotel Inspectors Awards: melhores hotéis de 2019

Como é se hospedar no renovado Mandarin Oriental Hyde Park, em Londres

Traveller Made: novos hotéis de luxo para ficar de olho

Hotel Inspectors está no Instagram @HotelInspectors, no facebook @HotelInspectorsBlog, no Twitter @InspectorsHotel e no LinkedIn @HotelInspectors

Virtuoso premia os melhores hotéis do mundo

Estou nesta semana em Las Vegas, participando da 31a. edição da Virtuoso Travel Week. O evento, promovido pela maior rede de experiências e viagens de luxo do mundo e que conta com mais de seis mil participantes neste ano, é importante não apenas por revelar as tendências que devem nortear o turismo de luxo no mundo nos próximos meses (falo sobre isso neste texto aqui) como também por anunciar os vencedores da edição 2019 do seu tradicional Best of the Best Awards.

O prêmio reconhece os melhores hotéis e hoteleiros do segmento do turismo de luxo em diferentes categorias. O grande vencedor da edição 2019 foi o hotel Four Seasons George V Paris (um dos meus hotéis favoritos do mundo, falo dele aqui e aqui), que levou o prêmio de Hotel do Ano.

Foto: Mari Campos

O programa Virtuoso Hotels & Resorts, lançando em 1992 com apenas 20 hotéis, hoje conta com um portfólio de mais de 1.400 hotéis, resorts, casas de campo, tendas de luxo e ilhas em mais de 100 países. Nesta edição 2019 do Virtuoso Best of Best também foram premiados o Rosewood Hong Kong, China, como melhor design; o La Réserve Paris como melhor experiência gastronômica em seu irretocável Le Gabriel; o Four Seasons at The Surf Club, Surfside, EUA, como melhor bar; o incrível Emirates One&Only Wolgan Valley, na Austrália, como liderança em turismo sustentável (outro dos meus hotéis preferidos no planeta); o Grand Velas Riviera Maya, no México, como melhor programa familiar; e o Miraval Arizona Resort & Spa, nos EUA, como melhor programa de Bem-Estar. No quesito “novidade”, o destaque ficou por conta do Montage Los Cabos, no México, propriedade adicionada ao portfólio Virtuoso no ano passado.

Foto: Mari Campos

Hoteleiros e profissionais do setor também foram premiados, como Carlos Quereda, da Querido Representation Co, que levou o troféu de melhor embaixador de hotéis Virtuoso, e Amanda Hyndman, do Mandarin Oriental Hyde Park London, no Reino Unido, que ganhou como hotelier do ano.

Durante a Virtuoso Week diversas novas aquisições, novidades e aberturas hoteleiras do mundo todo foram anunciadas também e acompanhei tudo de pertinho – em breve, mais detalhes por aqui, incluindo a novíssima penthouse suite do Park Hyatt New York, com vista panorâmica para o Central Park, que acaba de abrir as portas e brinda seus hóspedes com transfers ida e volta em helicóptero a partir de qualquer aeroporto de Nova York, sem custos extras.

Flavia Duque, da AG1Tur, de Curitiba, se reúne com hoteleiros estrangeiros durante o evento. Foto: Mari Campos

Hoje são mais de 1.000 agências integrando a rede Virtuoso apenas mediante convite, reunindo mais de 20.000 consultores de viagem em mais de 50 países por toda a América do Norte, América Latina, Caribe, Europa, Ásia-Pacífico, África e Oriente Médio, que somam mais de de US$ 26,4 bilhões em vendas anuais. 

Siga também nossas redes sociais para ficar por dentro de todas elas: Instagram @ HotelInspectors,facebook @HotelInspectors e  Twitter @HotelInspectors.

Hotel não é apenas para dormir

Preview do novo Four Seasons que abrirá suas portas em breve em São Paulo | Foto de divulgação/Four seasons

Bem-vindo! Hotel Inspectors é um projeto assinado por duas jornalistas apaixonadas por turismo, hotelaria e bares e restaurantes de hotéis. Carla Lencastre e Mari Campos têm juntas mais de quatro décadas de experiência profissional. Fora muitos anos, antes disso, de viagens por paixão e por prazer. Percorremos o mundo em busca de hospedagens interessantes e dormimos em mais de uma centena de propriedades diferentes ao longo de um ano, além de fazermos numerosas visitas técnicas a outros hotéis.

Nosso projeto começou em 2017 no Instagram @HotelInspectors. O mercado hoteleiro se desenvolveu muito nos últimos anos. A Marriott comprou a Starwood. A InterContinental adicionou a Kimpton ao seu portfólio e procura nova bandeira de luxo. A Hilton inovou seu padrão clássico com a Curio Collection, de hotéis independentes com ênfase em arte. Surgiram vários hotéis boutique (embora até hoje se faça tanta confusão com este termo). Brasileiros passamos a valorizar associações e selos, como Leading Hotels of the World, Preferred Hotels, Relais&Châteaux, Traveller Made e Virtuoso.

Todas as semanas vamos falar por aqui sobre tudo isso e muito mais. Sempre com base em nossa própria experiência, seja durante viagens a trabalho ou de férias (sim, jornalistas de viagem também viajam nas férias).

O artsy The Darcy, novo hotel da Curio Collection by Hilton em Washington DC | Foto de Mari Campos

Em nossas hospedagens e avaliações, priorizamos o bom serviço e temos olhos treinados para reconhecer um design bonito e funcional, fundamental em um bom hotel de qualquer faixa de preço. Buscamos lugares bacanas, ainda que nem sempre luxuosos, até porque a vida é boa, bonita e hi-lo.

Vamos contar histórias curiosas sobres hotéis mais simples e nem por isso menos interessantes. Também não temos problema nenhum em chamar a atenção para pontos negativos, seja qual for o hotel ou a marca em questão. Teremos sempre um olhar imparcial em nossas visitas técnicas, hospedagens e análises de propriedades e do mercado hoteleiro em si.

Não acreditamos de forma alguma que “hotel é só para dormir”. Nem pensar!

Para nós, tomar um bom banho e descansar bem depois de um dia intenso na rua é fundamental para seguir qualquer viagem. Afinal, o quarto pode até ser básico e pequeno, mas nunca feio ou sujo. E se tiver uma cama dos sonhos e uma banheira com vista fica melhor ainda, não?

Será um prazer ter a sua companhia conosco por aqui.

Hotel Inspectors está no Instagram @HotelInspectors, no facebook @HotelInspectorsBlog e no Twitter @InspectorsHotel