A espera de um Carnaval

  1. A menos de duas semanas do Carnaval, as principais cidades que investem no evento se preparam para receber os turistas estrangeiros e locais para a folia e esperam uma movimentação da economia.

Sendo no início do ano, o Carnaval possui um desempenho importante no nosso turismo: feriado nacional, vários dias de folga e despedida do verão. Além de tudo, há a identidade de festa, o que torna o evento ainda mais convidativo. Para o setor, é uma oportunidade imperdível.

Já na expectativa de movimentar a economia, alguns destinos já iniciaram as prévias carnavalescas com blocos e dias de festa. A maioria tem previsão melhor de receita da época para 2018 em relação ao ano passado.

Belo Horizonte, por exemplo tem expectativas altas para o Carnaval deste ano: 3,6 milhões de foliões, 20% de aumento da movimentação em bares e restaurantes e R$ 530 milhões de receita, 30% a mais em relação a 2017, segundo o governo local. A cidade dobrou o valor dos investimentos para o período, chegando em R$ 20 milhões.

Já Salvador, cidade conhecida no mundo inteiro pelo seu Carnaval, estima que, dentre os milhões de foliões, 700 mil sejam turistas nacionais e 70 mil estrangeiros. A capital da Bahia espera uma movimentação econômica de R$ 1,7 bilhão para os dias de festa é uma ocupação hoteleira 25% maior do que a do ano anterior, na mesma época.

O Rio de Janeiro, que possui mais de 460 blocos autorizados que desfilarão pela cidade, espera atingir 85% de ocupação hoteleira, superando os 78% do ano passado. A previsão é que o Carnaval do Rio atraia cerca de 6 milhões de foliões, dos quais 1,5 milhão são turistas. São esperados R$ 3,5 bilhões de movimentação econômica para os dias de festa na capital carioca.

Já em São Paulo, o Carnaval deve movimentar R$ 464 milhões na economia local e a hotelaria aguarda ocupação de 90% no litoral da cidade.

O estado de Pernambuco, onde as festas de Carnaval se concentram principalmente em Recife e Olinda, são aguardados 1,7 milhão de turistas e receita de R$ 1,2 bilhão no período que antecede e nos dias de folia.

Após um ano de crise, em que a época não resultou no rendimento esperado em diversos destinos e quando cidades tiveram que cancelar a programação de Carnaval, a folia em 2018 chega no país carregada de otimismo em relação ao setor. Para a economia brasileira, a expectativa é que o período carnavalesco, neste ano, injete mais de R$ 11 bilhões na economia. É aguardar para ver. Seguimos acompanhando.

*Com informações de assessorias de imprensa dos governos locais.

Published by

Jeanine Pires

Professora e empresária, tem 19 anos de experiência em turismo e eventos. Diretora da Pires & Associados e da MATCHER Travel Business.Suas principais atividades são a realização de Planos de Marketing de Destinos Turísticos e palestras no Brasil e no exterior. Presidiu a EMBRATUR de 2006 a 2010, onde também foi Diretora de Turismo de Negócios e Eventos. Liderou o trabalho de promoção do Brasil como destino turístico no exterior, os programas de captação de eventos internacionais e a agenda de promoção do Brasil de 2003 a 2010. Participou da elaboração do Plano Aquarela - Marketing Turístico Internacional do Brasil em 2005 e também coordenou sua versão para 2020. Nos Convention & Visitors Bureaux de Maceió e Recife como diretora executiva, desenvolveu os programas de marketing de lazer e eventos para aquelas cidades entre 1997 a 2002. Esse blog reflete opiniões pessoais e não tem qualquer vínculo institucional

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *