O que pode ajudar a vender viagens agora

O cenário ainda incerto da pandemia no Brasil e pelo mundo, faz com que as empresas precisem olhar sempre para pesquisas e dados que possam orientar o seu trabalho a cada momento, no médio e curto prazos. Uma pesquisa* divulgada pela booking.com mostrou que para os brasileiros a busca por preços acessíveis é prioridade na hora de uma viagem. Interessante destacar que as pessoas ainda esperam que as empresas de turismo ajudem no planejamento e nos planos de viagens não só com descontos e promoções, mas também com flexibilidade caso a viagem não dê certo.

Já falamos sobre flexibilidade aqui no blog e, quanto mais busco entender esse cenário nebuloso, mais entendo que a probabilidade de as pessoas comprarem viagens está relacionada à transparência de políticas de cancelamento, formas de reembolsos, multas e opções de seguro. Tudo o que representar uma barreira será um impeditivo para viajar. Parece um tanto óbvio mas, guardando a especificidade de cada setor de turismo, enquanto a confiança em viajar ainda estiver tão sensível e o ambiente indefinido, poder cancelar, remarcar e não ter custos extras me parece ser a primeira coisa que os clientes olham, além do custo-benefício da compra.

Pelos dados apresentados pela booking.com, também me chamou a atenção o fato de que as pessoas podem fazer escolhas de destinos muito mais pelo custo benefício e por valores, do que buscar adaptar o seu orçamento a um destino dos sonhos. O estudo indica que os brasileiros preferem utilizar um orçamento já disponível e fazer uma viagem a curto prazo do que economizar para fazer uma viagem incerta em outro momento. A pesquisa indica que “de 6 em cada 10 viajantes brasileiros preferem pagar imediatamente por uma viagem disponível do que economizar para uma viagem certo”.

Provavelmente um pouco de ousadia e riscos fazem parte da estratégia das empresas do setor nesse momento incerto. Vendas a curto prazo devem seguir por algum tempo. Promoções, flexibilidade para cancelamentos e, ao mesmo tempo, valores que garantam um custo benefício alto são indicadores de que a venda pode acontecer enquanto não temos restaurada a confiança em viajar (e tudo depende também da vacina e da evolução da pandemia). Compartilha com a gente as principais preocupações e demandas de seus clientes na hora de comprar.

*Pesquisa encomendada pela Booking.com e realizada com um grupo de adultos que viajou a lazer ou a trabalho nos últimos 12 meses, e que planeja viajar nos próximos 12 meses (se/quando as restrições de viagem forem suspensas). No total, 20.934 entrevistados em 28 mercados responderam a uma pesquisa online em julho de 2020.

Taxa Airbnb

airbnbE os desafios de competitividade e arranjos de mercado sofrem mesmo grandes transformações na indústria de viagens e turismo pelo mundo. Concorrência desleal ou opções ao cliente que deseja novas experiências e hospedagem sob medida? O caso do Airbnb vem causando muito debate na Europa aonde as cidades estão buscando soluções para que os aluguéis realizados por meio da plataforma também paguem taxas municipais.

É o caso de Lisboa, aonde a Câmara de Vereadores vem discutindo com a empresa a cobrança de uma taxa de 1 euro para os aluguéis do Airbnd. Segundo o jornal ‘O Público” de Portugal, as cidades de Paris e Amsterdã já cobram taxas e o tema tem sido bem recebido por todas as partes envolvidas.

Um apartamento em Paris por determinado período, reservado no Airbnb pode custar, por exemplo, R$ 744,00; desse valor, o aluguel é de R$ 633,00 e existem duas taxas, a de Serviços da plataforma (R$ 78,00) e uma outra chamada de Imposto de Turismo, que nesse caso seria de R$ 33,00. Resolvido.

Uma busca rápida para a semana que vem no Rio de Janeiro de hospedagem para 4 pessoas me mostra mais de 300 opções com média de diária de R$ 639,00. No caso de São Paulo a média no período é de R$ 592,00, de Salvador é de R$ 466,00 e Recife R$ 366,00 (período de busca de 16 a 24 de abril de 2016).

Um ótimo debate para o setor de turismo, arrecadar a taxa e utilizar os Fundos de Turismo para recebê-la, revertendo para a promoção do destino.