Em Belém pela primeira vez!

Estávamos celebrando meu aniversário fora de São Paulo este ano, quando a Julia me perguntou? “Você já foi pra Belém?” Ela tem mania de fazer isso. Quando estamos viajando, ela se anima tanto, que começa a pesquisar próximos destinos.

Bem, minha resposta foi não. E depois dela dizer “não acredito, você tem que ir. Com o paladar que você tem. Vai provar frutas e sabores que jamais experimentou!”. Pegou o iPhone dela, negociou datas comigo e apertou enter!

E aqui estou! Quer dizer, estamos! E como estou? Enlouquecida pelos sabores. Nunca experimentei tanta riqueza de excentricidade de gostos. E revivendo sabores de infância, pois descobri que a alfavaca e o coentro de Ubatuba (que aqui se chama chicória) são os temperos básicos do tucupi.

E as frutas…são de enlouquecer. Mas no meio de tanta diversidade, no meio de cupuaçu, cajá, taperebá, graviola etc, uma se revelou vencedora na preferência do meu paladar: o bacuri! Eu nunca vi nada parecido. É saborosíssimo, exótico e ao mesmo tempo suave e aveludado. É, pra mim, o sabor vencedor dessa experiência gastronômica enlouquecedora de Belém.

Eu duvido que exista em qualquer lugar do mundo a variedade de sabores e texturas que encontramos aqui. E o bacuri vai comigo pra eternidade.

Esse texto foi só pra expressar a minha perplexidade com a riqueza de sabores de Belém. Julia logo dará dicas do que comer e onde comer.

Até breve!

Doce de Bacuri!

Published by

Julia Casali e Tati Isler

Tati Isler é fundadora da TI Comunicações, empresa de marketing integrado especializada em viagens, que cuida do Turismo da África do Sul. Foi tenista profissional, é formada em História e Jornalismo e é apaixonada, além de viagens, por meditação, ashtanga yoga, plantas, gatos, Ubatuba e pelo amor... Julia Casali se formou em Comunicação em Multimeios e desde 2009 desenvolve estratégias comerciais para projetos de entretenimento, como Hotel Budweiser, festival Tomorrowland Brasil e a série Samantha! da Netflix. Nascida em São Paulo, ama sua cidade mas foge dela sempre que pode. É praticante de meditação, mãe de dois cães, ama pedalar, toca percussão na banda do Tarado Ni Você, aprecia boa comida, faz locução e está aprendendo marcenaria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *