Mais tendências do turismo na América Latina

 

Falei aqui, anteriormente, a respeito do relatório sobre perspectivas da indústria para a América Latina, elaborado pela Euromonitor e WTM Latin America. Nele, constam algumas das principais tendências para o setor latino-americano, das quais uma (a 3ª idade viajante) foi o tema do post anterior.

Dando continuidade à lista de mudanças que irão direcionar o Turismo nos próximos anos, trago mais duas fortes tendências para ficarmos de olho:

Turistas “sem chefe”: a busca pela qualidade de vida também no emprego ou cargo ocupado tem remodelado a forma de trabalho. O número de profissionais que deixam seus empregos para trabalhar no que gostam e acabam tornando-se chefes de si mesmos é crescente a cada ano e traz inúmeras transformações importantes nos hábitos de consumo e nas relações pessoais.

Esse segmento de turista tem horário de trabalho flexível, possui inclinação para serviços personalizados, tende a ser mais autônoma na tomada de decisões. Para este grupo de viajantes, a linha entre trabalho e lazer é bastante tênue e, por isso, exercem influência na tendência “bleisure” (business+leisure). Os turistas sem chefe, segundo o estudo, possuem estilo de vida mais “livre”, buscando também na vivência de uma viagem fazer aquilo que gosta.

Vendas via smartphones: outra forte tendência, que já pode ser percebida e tende a tornar-se mais expressiva, é o uso de smartphones na hora de adquirir pacotes de turismo, ou compra de produtos e serviços. Sendo integrante diário da vida do turista, estes dispositivos serão também uma via de compras habitual para os serviços de turismo a medida em que este tipo de transação for se tornando confiável para os latino-americanos.

Esta tendência também é reforçada pela convergência de redes sociais com sites de de compras, com ofertas direcionadas através de tecnologias e ferramentas de busca.

Além de elaborar publicidade compatível com esses dispositivos é importante também que empresas de turismo estejam preparadas para atender a este tipo de demanda, com hotsites bem estruturados, acesso a termos de compra e venda digitais e tecnologia para que sejam realizadas as transações via smartphones.

Analisar as tendências para o setor traz a perspectiva de transformações nos serviços de turismo oferecidos e também das expectativas dos turistas. No próximo post trarei mais duas tendências para o setor na América Latina. Acompanhe!

Postagens relacionadas

Published by

Jeanine Pires

Professora e empresária, tem 19 anos de experiência em turismo e eventos. Diretora da Pires & Associados e Presidente do Conselho Consultivo da WTM Latinamerica. Suas principais atividades são a realização de Planos de Marketing de Destinos Turísticos e palestras no Brasil e no exterior. Presidiu a EMBRATUR de 2006 a 2010, onde também foi Diretora de Turismo de Negócios e Eventos. Liderou o trabalho de promoção do Brasil como destino turístico no exterior, os programas de captação de eventos internacionais e a agenda de promoção do Brasil de 2003 a 2010. Participou da elaboração do Plano Aquarela - Marketing Turístico Internacional do Brasil em 2005 e também coordenou sua versão para 2020. Nos Convention & Visitors Bureaux de Maceió e Recife como diretora executiva, desenvolveu os programas de marketing de lazer e eventos para aquelas cidades entre 1997 a 2002. Esse blog reflete opiniões pessoais e não tem qualquer vínculo institucional

2 thoughts on “Mais tendências do turismo na América Latina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *