menos para as mídias sociais na busca de informações em viagens?

Uma surpresa a ser mais explorada a afirmação do IPK essa semana sobre a menor relevância das mídias sociais na escolha de destinos turísticos. Além de ser uma opção de menor escolha para os pesquisadores de viagens, também mostra que ainda permanece relevante a pesquisa em sites de operadores.

Há 10 anos, em todo o mundo, 46% das pessoas recorriam à internet como fonte de informação na decisão e organização de sua viagem. Sabe quanto é hoje? 82%, quase unanimidade. Mas que internet? Aonde? Muito se fala sobre o papel do marketing digital, ótimo, e das mídias sociais como grandes impulsionadores das buscas para viagens. Será que isso não é bem assim?

O informe do World Travel Monitor 2018, feito pelo IPK, diz alguns meios tradicionais e os intermediárias ainda são relevantes. Em pesquisa realizada em cerca de 90% dos mercados emissores pelo mundo, foram identificados os locais na internet em que as pessoas mais fazem buscas de informações para viagens, e os sites ganham. Os mais usados, em múltiplas escolhas, são de hospedagem (45%); destinos (37%); cias aéreas (32%); reservas on-line como Booking e Expedia (26%); opiniões como TripAdvisor (20%), operadores de turismo (19%) e redes sociais (19%).

Ok, mas quais são essas mídias sociais? Importante saber para ver aonde vamos apostar nosso conteúdo e nosso dinheiro: blogs de viagens, fóruns de viagens e redes sociais como Facebook e Instagram. Também o relatório aponta quais seriam os outros lugares, além da internet, que as pessoas buscam informações, e permanecem fontes que conhecemos há tempo: 33% nas agências de viagens; 27% com amigos e parentes; 13% em guias de viagens e 8% na imprensa, TV e rádio.

Opa! Ainda precisamos então levar em consideração duas coisas que parecem ainda ser relevantes em nossa indústria quando se trata de conteúdo, de informação, de subsídios para vendas e promoção de destinos. Primeiro são os intermediários, operadores e agentes de viagens continuam como meios importantes na informação, e claro, na venda; o segundo são as pessoas, guias de turismo e a tradicional mídia (com menos importância do que as demais fontes). Quais os canais usados por sua empresa? Você concorda que o marketing é on-line, mas também off-line no que diria Kotler para o marketing 4.0?

Como sua empresa se comporta nas redes sociais?

Graças às redes sociais, hotéis, serviços de turismo e destinos nunca foram tão expostos quanto são agora. Há um diálogo constante entre consumidores e empresas nesse terreno e o posicionamento das diversas áreas do turismo deve ser sim, alvo de atenção! O planejamento do comportamento em mídias sociais como Instagram, Facebook, Twitter, LinkedIn e outros é uma das ferramentas mais eficazes para divulgação orgânica (espontânea).

Pensando nisso, trago aqui uma breve compilação (oriunda do desenvolvedor de pesquisas Clutch.co e outros artigos online) de 4 dicas práticas e simples que são pilares para o desenvolvimento estratégico no solo das redes sociais. Vale a pena dar uma conferida!

  1. Invista no relacionamento: Certifique-se que a sua empresa/marca está ativa nas redes sociais. Identifique o que há de mais memorável e os pontos fortes dos seus serviços lembrando sempre que o que é oferecido nas redes sociais deve condizer com o que é entregue pela sua marca. As redes sociais acabam tornando-se um “SAC virtual”, onde futuros clientes perguntam sobre preços, viabilidade e disponibilidade, entre outras dúvidas. É importante estar atento e responder sempre com cordialidade, para que a repercussão da imagem da marca seja positiva.
  2. Comunique-se visualmente e com objetividade: Uma das tendências dos novos viajantes é a objetividade. Nas redes sociais, um texto claro e direto vale ouro. Não há necessidade de floreios, principalmente se a legenda vier acompanhada de uma boa imagem. Aliás, a imagem é o que fica em primeiro plano nas mídias sociais e, por isso, deve ser pensada com carinho, levando-se sempre em consideração a conexão do conteúdo com a marca. Não dá pra postar foto de “Bom dia” com bonecos de desenho animado em uma rede social de hotel, por exemplo; ao invés disso, dá pra tirar uma foto da paisagem do hotel ao nascer do sol ou do destino em que ele se encontra ou mesmo do café da manhã que ele oferece. Lembrando sempre: não crie expectativas que não podem ser cumpridas.
  3. Encare as redes sociais como um canal de vendas: Estar ativo nas mídias sociais não quer dizer apenas que sua empresa aderiu à “modinha”. As redes sociais devem ser vistas como uma ferramenta valiosa de divulgação do seu serviço e que agrega valor à imagem da sua marca no meio virtual. Uma postagem bem elaborada e bem direcionada em uma rede social pode obter mais efeito positivo do que uma publicidade, por exemplo.
  4. Um profissional faz toda diferença: Para ter resultados efetivos, a ajuda de um profissional deve ser sempre considerada. Seja em consultoria ou na criação dos conteúdos, o direcionamento estratégico de um profissional qualificado pode ser um diferencial no posicionamento da sua marca/empresa nas redes sociais.

Como a sua empresa/marca tem se posicionado nas redes sociais? Que outra dica pode ser valiosa na hora de iniciar o relacionamento com futuros e antigos clientes nas mídias? Compartilhe.