Brasileiros gastam 35% a mais em agosto

O Banco Central divulgou essa semana os números da receita e despesa cambiais no País durante o mês de agosto deste ano. De acordo com o balanço, os gastos dos brasileiros no exterior chegou ao valor de US$ 1,75 bilhão, correspondendo a um percentual de 35% superior a agosto de 2016 (quase US$ 500 milhões). No entanto, a cota não superou, mas se aproximou do mês de julho deste ano (um mais alto desde janeiro de 2016), quando os brasileiros chegaram a gastar US$ 1, 87 bilhão em viagens internacionais.

Já os estrangeiros deixaram aqui no país no mês passado US$ US$ 455 milhões, ou seja, quase 25% a menos quando comparado ao mês de agosto de 2016. No acumulado do ano, de janeiro a agosto de 2017, a receita cambial foi de US$ 3,95 bilhões, correspondendo a um percentual de 6,39% inferior ao mesmo período de 2016.

A redução do montante deixado aqui no Brasil pelos estrangeiros já era prevista, já que, o mês de agosto do ano passado foi a época em que recebemos os Jogos Olímpicos e tivemos, devido a isso, um aumento considerável na receita cambial do País (não só no mês referente, mas em todo ano como se pode observar na comparação entre o acumulado de 2016 e 2017).

Provavelmente, teremos uma avaliação mais “justa” na receita cambial do mês de setembro, onde poderemos fazer uma análise mais real dos valores deixados pelos visitantes estrangeiros aqui. Já o aumento dos gastos brasileiros se justifica não só pelo período favorável de viagens (julho e agosto), mas também pela cotação do dólar, que tem se mantido relativamente estável, caminhando na casa dos R$ 3,15 a R$ 3,20.

 

 

Published by

Jeanine Pires

Professora e empresária, tem 19 anos de experiência em turismo e eventos. Diretora da Pires & Associados e da MATCHER Travel Business.Suas principais atividades são a realização de Planos de Marketing de Destinos Turísticos e palestras no Brasil e no exterior. Presidiu a EMBRATUR de 2006 a 2010, onde também foi Diretora de Turismo de Negócios e Eventos. Liderou o trabalho de promoção do Brasil como destino turístico no exterior, os programas de captação de eventos internacionais e a agenda de promoção do Brasil de 2003 a 2010. Participou da elaboração do Plano Aquarela - Marketing Turístico Internacional do Brasil em 2005 e também coordenou sua versão para 2020. Nos Convention & Visitors Bureaux de Maceió e Recife como diretora executiva, desenvolveu os programas de marketing de lazer e eventos para aquelas cidades entre 1997 a 2002. Esse blog reflete opiniões pessoais e não tem qualquer vínculo institucional

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *