Sustentabilidade é discurso ou prática para sobreviver no mercado de viagens?

A European Travel Commission – ETC, entidade que congrega dos destinos turístico da Europa está sempre trazendo análises interessantes sobre inovação, competitividade e tendências no turismo. Nessa linha, divulgou hoje (15/09/2021) o documento “RECOMENDAÇÕES-CHAVE PARA INCENTIVAR PRÁTICAS DE TURISMO SUSTENTÁVEL“. O organismo destaca que os órgãos nacionais de turismo e também os locais devem pensar seriamente em criar condições para que os destinos, empresas e visitantes adotem mais práticas sustentáveis no turismo, atuando nas seguintes áreas:

  • Visão, planejamento estratégico e gerenciamento: Identificar as formas com as quais o turismo pode contribuir
    para um destino bem-sucedido, direcionando o desenvolvimento e a gestão do turismo no caminho adequado
  • Dados, pesquisa e inteligência: Geração e compartilhamento de dados sobre o comportamento do mercado, fluxos de visitantes, a pegada de carbono do turismo no destino, o ambiente de operação dos negócios, o sentimento dos residentes e o valor da contribuição do turismo para a conservação do patrimônio natural e cultural patrimônio
  • Defesa do setor e parcerias: Uso de influência e representação para encorajar as partes interessadas em todos os níveis a reconhecer o valor do turismo e a importância de uma abordagem sustentável
  • Apoio empresarial e desenvolvimento de habilidades: Desenvolver estruturas nacionais em conexão com as regionais e locais para apoiar e incentivar o desenvolvimento de habilidades, melhorar os padrões de sustentabilidade e incentivar boas práticas comerciais
  • Comunicação e marketing: Influenciar o comportamento das partes interessadas (por exemplo, fornecendo informações claras, informações e ferramentas acessíveis para orientar os consumidores a fazer escolhas sustentáveis ou ajudando
    os visitantes a entendem como reduzir os impactos de suas próprias viagens)
  • Finanças e investimento de capital: Trabalhar com governos locais e nacionais para pressionar e facilitar o acesso a financiamentos e investimentos que apóiem a implementação de um turismo sustentável.

Veja também: Motivos para viajar e se tornar uma pessoa melhor

Todas essas sugestões podem parecer longe de nossa realidade, ou ainda, parecer que não são nossa prioridade nesse momento, mas me pergunto:

  • o destino depende de recursos naturais para atrair os visitantes?
  • queremos que os turistas conheçam nossa história e cultura?
  • a experiência autêntica é um diferencial para que nosso destino ou nosso hotel não seja mais um dentre milhares?
  • nosso destino conhece os 17 objetivos do desenvolvimento sustentável?
  • estamos orientando nossos clientes a colaborar com nossas ações de práticas sustentáveis?

Vou adorar se você compartilhar aqui as práticas de sua empresa ou destino na área de sustentabilidade.

Published by

Jeanine Pires

Palestrante e consultora apaixonada pelo turismo com 25 anos de experiência no Brasil e no exterior. Diretora da Pires Inteligência em Destinos e Eventos e Diretora da MATCHER, sua especialidade é marketing de destinos, tendências em turismo e o segmento de eventos. Presidiu a EMBRATUR de 2006 a 2010, onde também foi Diretora de Turismo de Negócios e Eventos desde 2003. Já atuou como Presidente do Conselho da Fecomércio São Paulo e da WTM Latin America.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *