A pasta do turismo

A manutenção da pasta do turismo é uma boa notícia recebida pelo setor nessa quarta, 28/11.

A anunciada fusão do Ministério com Cidades e Integração traria danos irreversíveis ao segmento que pode gerar empregos, atrair investimentos e aumentar a arrecadação de divisas. Depois desse anúncio, os passos importantes serão a nomeação de pessoas com conhecimento na área e a existência de um orçamento à altura dos desafios que virão pela frente.

Da mesma forma, a continuação das políticas públicas essenciais como o Plano Nacional de Turismo 2018-2022 e o Conselho Nacional de Turismo, podem fazer com que muitos projetos não sejam começados do zero, ou outros abandonados.

Vale aqui lembrar das propostas elaboradas pelas entidades de turismo por meio do Conselho Empresarial da CNC, que é a contribuição dos empresários aos rumos do turismo no país. O documento já foi entregue ao então candidato Jair Bolsonaro, e poderá ser também um instrumento do novo Ministro e sua equipe.

Cada vez mais, a participação efetiva e forte das entidades e empresários se torna uma condição fundamental para os avanços do setor, sem depender de governos, mas interagindo para que cada um possa fazer bem sua parte. Falamos um pouco sobre isso no post da semana passada.

Conheça aqui as propostas do Conselho Empresarial da CNC.

Fornatur: carta aos presidenciáveis

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em sua carta aos candidatos à presidência de 2018, o Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo, o Fornatur, busca deixar claro a importância do turismo para o desenvolvimento do país. Para isso, o texto começa explicitando os efeitos negativos que um mau desempenho no segmento turístico pode gerar na balança comercial, e traça um comparativo entre o impacto econômico do turismo no Brasil e em outros países da América Latina.

Gráficos ajudam a mostrar a desproporcionalidade entre o potencial turístico do país e os investimentos feitos no setor. O Brasil que, segundo o Fórum Econômico Mundial, ocupa o primeiro lugar em atrativos naturais, se encontra na 126º posição no quesito priorização do turismo pelo governo. E para atrair a atenção dos presidenciáveis para essa questão, o Fornatur apresenta dados sobre a influência positiva desta área no país, principalmente como segmento fundamental na geração de empregos.

Distribuída em quatro eixos estratégicos (governança, infraestrutura, produtos e promoção), a proposta é apresentada. Sendo cada um desses pontos exibidos através de uma série de demandas, ações e objetivos que possuem a finalidade de traçar um caminho para uma melhora substancial do setor. Entre os pontos apresentados estão: aumentar o orçamento do Ministério do Turismo, efetivar a implantação do Plano Nacional de Turismo (2018-2022), melhorar a estrutura dos portos e aeroportos nacionais, ampliar o visto eletrônico e a dispensa do visto para mercados estratégicos e fortalecer a rede de inteligência de mercado turístico (RIMT).

(Veja aqui o post com as propostas da CNC: https://bit.ly/2wIFJFJ)