Paris e a ressurreição de uma profissão

Uma das mais surpreendentes atrações de Paris é sua população. Elegante ou voluntariamente desajeitado, nostálgico de um tempo revolto ou insaciável futurista, socialista “bobô”, conservador “fachô”, ou centrista oportunista, seja ele quem for, o parisiense é sempre um personagem intrigante.

E em Paris, cada um destes personagens únicos catalisa esse conjunto fascinante de humanos, arquitetura e atividades continuamente efervescente e inusitado.

Para exemplificar minhas palavras pedi ao meu amigo Didier uma entrevista. Assim, pela mesma ocasião ele dedicaria o livro de sua autoria que comprei. Marius, como é chamado desde que abriu uma empresa do mesmo nome em 2015, sempre simpático, prontificou-se: assim que estivesse no bairro me avisaria para tomarmos um café.

E como não poderia deixar de ser, foi pela janela que vi Marius chegar, antes mesmo que o telefone tocasse para avisar o fato. Com seu taxi inglês transformado, Marius não passa despercebido. O amolador de facas e tesouras e seu “ateliê móvel” atraem os olhares de potenciais clientes, mas também de muitos curiosos locais e estrangeiros. 

Outrora errantes em carriolas de madeira, os afiadores de facas foram suplantados pela modernidade. Seus serviços passaram a ser oferecidos em supermercados, em sapateiros e até mesmo eletrodomésticos apareceram para cumprir a tarefa.

Porém Didier, quero dizer, Marius, graças à sua formação de cozinheiro,  sabe que os colegas da profissão não trocam suas facas com facilidade e não gostam de deixa-las sob a responsabilidade de  qualquer um. O profissional precisa de seu material funcional e disponível e não pode perder sequer um dia de trabalho sem ele. Então, em função deste parâmetro, com seu veículo e agenda em mãos Marius partiu ao encontro da nata da cozinha francesa e enquanto serpenteia as ruas da capital, Marius serve também o povo da cidade.  Segundo Marius, seus segredos para essa ressurreição bem sucedida são: um serviço de proximidade, a alta qualidade da prestação com a qual ganhou a confiança da clientela, preços fixos e pacotes mensais para os clientes regulares e flexibilidade para a clientela de passagem. Os cozinheiros  e a população ganham em tempo e qualidade, diz Marius.

E, sobretudo, segundo o entrevistado, Marius criou um conceito, repaginou a profissão com estilo “vintage”, dando uma “nova” imagem ao antigo ofício. A empresa tem um primeiro franqueado e vem crescendo. Marius, Le remouleur é  um exemplo para quem já não acredita na força do contato humano. O seu sucesso convida a reflexão, faz com que eu me questione: e se nossa profissão tivesse um problema de imagem?  

Se você duvida do sucesso da empreitada, assista aos vídeos de Marius em um encontro casual com o grande ator Gerard Depardieu e nas cozinhas do Primeiro Ministro Francês ( emissão de TV Echappées Belles, se tiver um tempinho as imagens de Paris valem a pena).

Enfim, voltando ao tema do blog: Paris! Graças a figuras como Marius, Paris mantêm seu charme inigualável e (quase) indescritível. Sempre imperdível!

Marius "le Rémouleur" dans l'émission Échappées Belles sur Fra…

Pour tous ceux qui ont raté Marius affûteur ambulant de Paris dans l'émission du 20/02/2016 "Échappées Belles" Bon visionnage !!

Posted by Marius Rémouleur on Thursday, February 25, 2016

 

Facebook Marius

Published by

Silvia Helena

Após breves passagens pela Faculdade Metodista de São Bernardo e Belas Artes de São Paulo, aos 18 anos fui estudar no Canadá, onde vivi durante 23 anos. Lá me formei em História da Arte pela Universidade de Montréal, estudei turismo no Collège Lasalle de Montréal e no Institut de Tourisme et Hôtellerie du Québec. Comecei minha carreira na área trabalhando em Cuba. Durante os anos vividos no Canadá, entre outras coisas, fui guia de circuitos pela costa leste e abri minha primeira agência de receptivo para brasileiros. Há dez anos um vento forte bateu nas velas da minha vida me conduzindo até França. Atualmente escrevo de Paris, onde vivo e trabalho dirigindo a empresa de receptivo, a Holatour.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *