Muito O que fazer durante a greve em Paris

Enquanto todos parecem estar preocupados com a greve em Paris, acho importante enfatizar as coisas boas acontecendo por aqui. E acreditem: há muito o que fazer.

Como já é sabido, a época natalina é linda em Paris. Atividades específicas e iluminações festivas invadem a cidade encantando parisienses e turistas.

Dentre estas atividades, dois programas imperdíveis: Descoberta de Mercados de Natal e Pistas de patinação.   

Hora de esquecer da greve em Paris!

pistas de Patinação em paris

Você encontra até o inicio de janeiro em Paris uma pista de patinação para cada gosto! E o que é ainda melhor durante esse tempo de greve em Paris, você encontra essas pistas de patinação nos mais variados lugares.

Algumas oferecem opções de lazer e mercados de Natal logo ao lado, outras oferecem vistas incríveis: Rooftop, proximidade da Torre Eiffel, espaço Art-Nouveau impressionante. Pegue suas luvas e faça sua escolha!

Le Grand Palais des Glaces au Grand Palais.

Uma pista de patinação de 2700 metros quadrados sob uma estrutura de vidro e ferro trabalhado em magnífico estilo Art-Nouveau. A maior pista de patinação do mundo, ao lado do Champs Elysées, de fácil acesso. A noite a patinação vira balada.

3, avenue du Général Eisenhower (8°) De 13 dezembro até 8 janeiro Todos os dias de 10h a 13h, de 14h a 19h et de 20h a 2h. Tarifas: de 12€ a 25€. Noturna: 29€.

Rooftop Arco da Défense.

Situado a 110 metros de altura, na parte moderna de Paris, esta pista de patinação pode ser uma boa opção se seu hotel está nesta área ou se você vai fazer um rolê no mercadinho de Natal de lá. Aproveite que a linha 1 não está muito afetada com a greve em Paris.

1, parvis de la Défense, Puteaux (92). De 21 dezembro a 5 janeiro, todos os dias das 10h30 à 18h30. Tarifas de 7€ à 15€. Gratuito para menores de 3 anos. Aluguel Patins: 3€. Luvas obrigatórias. La Défense não é Paris, mas quase!

No Champs de Mars

Pista de Patinação situada nesse imenso parque atrás da Grande Dama. Patinar aos pés da Torre Eiffel não precisa maiores descrições, não é mesmo? Dentro do mercado de Natal Village de Noël du Champs de Mars.

Gratuito, locação patins 6€ Do 20 dezembro 2019 ao 5 janvier 2020.

Pista de Patinação Galeries Lafayette

Terraço da Galeries Lafayette, uma pista de patinação efêmera, com 170 metros quadrados, oferece uma vista magnífica para a cidade. As decorações no interior e vitrines são mais um bom motivo para dar uma passadinha.

Gratuita Das 9h30 as 20h30 Todos os dias até 1° de janeiro Boulevard Haussman

Patinoire Rooftop Torre Montparnasse

Pela terceira vez consecutiva, a Torre Observatório de Paris oferece essa oportunidade única de patinar em sua pista de 270m2 tendo Paris a seus pés.

Do 16 fevereiro ao 10 março até 20h durante a semana e 21h aos sábados. Acesso à pista de patinação gratuito, aluguel de patins 2€. Luvas obrigatórias.

Valor entrada Torre Montparnasse: Adulto : 18€ Jovens (12-18 anos) : 15€  Crianças 4 à 11 anos : 9.50€

NO Jardin des Tuileries

No interior do animado Mercado de Natal esta pista de patinação de 1200 m2 oferece logo ao lado gastronomia, bebidas, artesanato e um parque de diversões. Antes esse mesmo mercado ficava no próprio Champs Elysées, agora, confinado no Jardim de Tuileries oferece finalmente mais conforto e convivialidade. Em frente ao Louvre.

Rue de Rivoli (I°). De 24 novembro 2018 até 5 janeiro.

MERCADINHOS DE NATAL EM PARIS Saiba onde encontrá-los

Grande evento de compras e diversão de fim de ano, os tradicionais mercados de Natal estão de volta até inicio de janeiro igualmente.

Para facilitar a vida do turista, as lindas feirinhas de Natal são encontradas nos quatro cantos da capital.

Estes mercadinhos são eventos festivos imperdíveis durante as celebrações de fim de ano em Paris.

Guloseimas, artesanato, produtos importados são apresentados em pequenos chalés de madeira aos passantes que se deixam seduzir pelas decorações, animação ou ainda pela deliciosa gastronomia francesa. Solidários, veganos, temáticos… Veja onde encontrá-los

LA MAGIE DE NOËL NO TUILERIES

Organizado pelo rei dos parques de diversão parisiense Marcel Campion. Como mencionado acima, este é mercado que se encontrava na avenida Champs Elysées. Veja mais no vídeo que eu fiz com muito carinho para você.

De 15 novembro 2019 até 5 janeiro 2020 Jardin des Tuileries – place de la Concorde, Paris 1°

MERCADO DE NATAL FORUM DES HALLES

Esse mercadinho simples apresenta uns vinte quiosques de artesanato e comida. Porém, está localizado em frente a um shopping imenso de três andares, onde você encontra as melhores marcas francesas e internacionais.

De 14 novembro até  29 dezembro 2019
Forum des Halles – 101 Porte Berger, Paris 1°

 Mais informações MERCADINHO DE NATAL sous la Canopée

VILLAGE DE NOËL SUR LE PARVIS DE LA DÉFENSE

O pátio da Défense é ideal para um mercadinho de Natal. Amplo e animado durante a semana pela população passante. A pista de patinação à proximidade também completa o passeio.

De 21 novembro a 29 dezembro 2019
Parvis de la Défense, 92

MERCADINHO DE NATAL DE SAINT-GERMAIN-DES-PRÉS

A feira de Saint-Germain- de- Prés é um dos mais tradicionais mercadinhos de artesanato e guloseimas. Não somente a oferta é de qualidade, mas a própria região é histórica é propicia à visita.

De 30 novembro 2019 a 5 janeiro 2020
Quartier Saint-Germain-des-Prés, Paris 6°

 Mais informações MERCADINHO DE NATAL de Saint-Germain-des-Prés

MERCADINHO DE NATAL DE PARIS NOTRE-DAME

Na margem esquerda do Rio Sena, bem ao lado da famosa livraria Shakespeare & Cie, com linda vista para a Notre-Dame, oferece comércio “igualitário” e artesanato tradicional francês.

De 13 a 29 dezembro 2019
Praça René Viviani – 2 rue De Fouarre, Paris 4e

Mais informações MERCADINHO DE NATALde Paris Notre-Dame

MERCADINHO DE NATAL DA TORRE  EIFFEL

A situação geográfica deste mercado de Natal dispensa toda apresentação. No Champs de Mars, aos pés da Torre Eiffel.

De 20 dezembro 2019 ao 5 janeiro 2020
Quai Branly, Paris 7e

Outros

MERCADINHO DE NATAL DO 15°

De 13 a 24 dezembro 2019
Pátio da prefeitura do bairro 75015 – 31 rue Péclet, Paris 15e

LE CHALET DE NOËL DE RITZ PARIS

Com criações de Chef Pâtissier François Perret De 7 dezembro a 5 janeiro 2020
Place Vendôme, Paris 1°

Como pode ver, com greve ou não em Paris, agora é hora de “turistar”!

Os preços são à titulo informativo e podem variar.

Published by

Silvia Helena

Após breves passagens pela Faculdade Metodista de São Bernardo e Belas Artes de São Paulo, aos 18 anos fui estudar no Canadá, onde vivi durante 23 anos. Lá me formei em História da Arte pela Universidade de Montréal, estudei turismo no Collège Lasalle de Montréal e no Institut de Tourisme et Hôtellerie du Québec. Comecei minha carreira na área trabalhando em Cuba. Durante os anos vividos no Canadá, entre outras coisas, fui guia de circuitos pela costa leste e abri minha primeira agência de receptivo para brasileiros. Há dez anos um vento forte bateu nas velas da minha vida me conduzindo até França. Atualmente escrevo de Paris, onde vivo e trabalho dirigindo a empresa de receptivo, a Holatour.

33 thoughts on “Muito O que fazer durante a greve em Paris

  1. Estive lá na semana passada, e só uma coisa a dizer: evitem Paris nessa época!
    A cidade está um caos. Não tem como se locomover sem metrô e trem. Taxi/Uber/Ônibus (inclusive os turísticos BigBus e o OpenBus) enfrentam um trânsito infernal!
    Os trens internacionais foram cancelados e os voos estão saturados.
    Os estabelecimentos turísticos e os taxistas estão se aproveitando da situação e cobrando mais caro pelos serviços.
    Como a cidade é grande, andar a pé (ainda mais no frio!) não é uma opção.
    Já fui outras vezes para Paris e nunca encontrei uma situação dessas. Meu conselho é que evitem a cidade nesse momento.

    1. Prezado Alexandre

      Como vai? Obrigada por visitar o blog e deixar seu comentário.
      Entendo sua posição. Eu prefiro ser menos alarmante, pois para quem já tem sua viagem programada agora só resta aproveitar. E ainda que com algumas dificuldades, vivenciar este período histórico na França .
      Acredito que com certa verba e/ou flexibilidade ainda é possível se divertir, e muito durante essa época aqui.
      Vejamos o caso do Silas, embora trabalhe no turismo, sua empresa não permite presentes por parte de fornecedores aos seus colaboradores. Então o Silas comprou talvez financiado, transporte de chegada e saída, visita panorâmica de Paris, um passeio motorizado à Versalhes e um Cruzeiro pelo Rio Sena. Desfrutando dos serviços ofertados por profissionais de turismo não teve que se submeter aos inconvenientes do transporte público para boa parte de sua descoberta de Paris e poderia ter feito isso sem andar muito. Por acaso o casal também optou por andar um pouco.
      Para aqueles que não dispõem de orçamento para compra de passeios motorizados semi privativos, existe, por exemplo, o cruzeiro Batobus para descoberta de boa parte da cidade.
      E eu ainda acredito que andar seja uma excelente opção. Quando tenho amigos na cidade é o que faço, em dois dias atravessamos os bairros turísticos, batendo papo, conto a história da cidade e paramos para um cafezinho aqui e ali, um crepe, um sanduíche. Geralmente meus amigos descrevem esses momentos como os melhores momentos passados em Paris. Eis as razões de meu otimismo.
      Quanto ao frio: Como morei no Canadá, sou brasileira e profissional da área do turismo eu me considero apta a aconselhar aos amigos como enfrentar o frio. Uso de várias camadas, evitar jeans, sapatos com solas espessas (como tênis), cachecol, luvas e boina ou gorro obrigatoriamente. Andando bem vestido e com as extremidades bem cobertas o corpo esquenta e o calor não escapa.
      A linha 1 e a 14 de metrô não param, as demais tem o serviço afetado e a escassez de trens pode ocasionar tumultos. A linha 4 parece uma das piores quanto este último item.
      Visitantes devem a todo custo evitar táxis e Uber durante o horário de rush parisiense (das 7 às 9h30 e das 17h às 20h). Por acaso, exatamente o que eu faço quando estou em São Paulo.
      Os mercados de Natal, as pistas de patinação, as luzes do Champs Elysées… agora o negócio é focar nas coisas boas!
      Vou adicionar no post em breve uma imagem do jornal Le Parisien que indica o tempo de caminhada entre os principais pontos de Paris esperando ajudar um pouco.

  2. Mas como se locomover durante a greve? Por exemplo uma pessoa que ficará hospedada no 2 arrondissement, pode fazer muito a pé, mas é os lugares mais distantes como sacré cœur ? Táxi? Quais horários menos conturbados?

    1. Oi Taciana
      Como vai?
      Efetivamente o Sacré-Cœur apresenta maior dificuldade. Para sair de para sair de lá, você vem andando ladeira abaixo até a região da Opera e bairros adjacentes, mas para voltar fica mais complicado.
      Os trens só param completamente nas terças-feiras, porém uma das linhas que vai até la é a 4, que passa igualmente na importante e movimentadíssima Gare du Nord e se apresenta saturada grande parte do tempo.
      Você terá que contar provavelmente com um Uber ou taxi no final do dia para voltar para seu apartamento. Enquanto escrevo neste sábado 16h56 o valor do Uber X da Concordia até o Sacré Cœur está 21,81 e Uber Poll 15,70.
      Evite de 7h a 9h45 e de 17h00 à 19h30/20h

  3. Oi, Silvia! Tudo bem?
    Estou indo pra Paris agora na próxima semana e queria te agradecer por tuas postagens tão sensíveis e gentis, que muito me acalmaram diante do cenário de insegurança que acaba sendo viajar para um lugar novo e enfrentando uma greve como essa. Com passagens e hotéis comprados (muitas vezes com muito planejamento e antecedência) não há outra alternativa senão aproveitar a cidade com tuas dicas. E criar um alarde (como vi muitos fazendo) acaba gerando mais insegurança e ansiedade em que está indo pra aí. Obrigada por sua sensibilidade e gentileza!

  4. Silvia, resolvi desta vez ficar mais afastada em um bairro mais residencial no 17 arrondissement. Acho que vou ter dificuldades…. me aconselhe. obrigada.

    1. OI Vera
      Como vai? Obrigada por visitar o blog e por deixar seu comentário
      Que bom saber que está voltando. Significa que já esteve aqui e gostou.
      O bairro 17 é um bairro grande. Uma parte toca o Champs Elysées e o parque da Aclimatação, outra o periférico. Descendo a Avenida Wagran você chega direto no Champs Elysées. Desça a Av. de Clichy para tomar linha 14 que passa na gare Saint Lazare ou ainda andar até a região da Opera ( as linhas 14 e 1 são automáticas são as menos afetadas e seguem circulando).
      De fato a greve para tudo nas terças feiras, nos demais dias os trens são poucos e saturados, mas circulam, assim como os Ônibus.
      As crianças parisienses estão de férias, muitas partiram com seus pais e carros para outras cidades. Os ônibus não estão mais cheios que os ônibus brasileiros entre 18 e 19h.
      Evite Uber nas horas de pico. Faça como os parisienses e pare num bistrô para olhar o vai e vem dos passantes até as coisas acalmarem. Procure um café perto do ponto de ônibus por exemplo. Eu costumo pedir um “café noisette” ( diz-se cafê noazete) que é um pingado, para um café com leite peça café crème (diz-se cafê créme) pois o preço varia entre 1,80 e 2,80. Depois das 18 melhor pedir “un verre de vin”.

  5. Silvia!

    Você é muito fofa! Estou adorando suas dicas. Embarco amanhã, dia 24/12, e estou tetando me planejar ao máximo para conseguir aproveitar. Já preparada para andar (condicionamento em dia!!!) e para viver Paris, aproveitando cada detalhe.

    Perrengue por perrengue, prefiro estar em Paris, não é mesmo? kkkkkkk em SP já estamos acostumados a esse tipo de coisa… então, vamos que vamos que vai dar certo.

    Grande beijo e feliz Natal!!!

    1. Priscilla, você também é muito gentil. Obrigada.
      Quando se é positivo, aproveita-se mais da vida!
      Parabéns! Te desejo boa viagem, sabendo desde ja que vai dar tudo certo. Qualquer perrengue onde precise de assistência fale com o pessoal do site brasileirosemparis.com
      Felizes festas

  6. Muito obrigada, Silvia. Seu blog é muito bom, de conteúdo e forma. E você , uma gentileza nas respostas e nos conselhos. Valeu! Um ótimo Natal e 2020 de muita luz. Acho que vai dar tudo certo.

    1. Oi Silvia, tudo bem? Pegarei um trem de Milão a Paris, com conexão em Zürich, e estou com medo de não conseguir chegar até Paris porque a empresa de trem que fará a conexão na Suíça é francesa e aderiu à greve. Você saberia informar sobre alguma notícia de cancelamentos de viagens internacionais nas vias de trem? muito obrigada pela atenção, adorei seu blog

      1. Anna
        Obrigada pela visita ao blog.
        Alguns trens são anunciados como cancelados um dia antes da partida e partem assim mesmo, sendo assim não deixe de ir até a estação de trem verificar. Saindo de Milão acho que você tem mais sorte e possibilidades de viajar que se estivesse saindo de Paris. Tenho também sugerido Flixbus e Blablacar como segunda opção.

  7. Olá Silvia, tudo bem ?
    Estou com uma viagem comprada, chegando ai dia 1 de Janeiro. Eu vou ficar em Montmartre e gostaria de saber como está ocorrendo as visitas a Versailles, como esta sendo feiito para chegar lá, devido a escassez dos trens do metrô. Além disso, você acha que após o Ano Novo essa situação mellhora ? Aguardo os seus consellhos, que são ótimos!
    Muito obrigada,
    Bjs Amanda

    1. Olá, Amanda, como vai? Obrigada por sua visita ao blog.
      A greve continua e nada muda para o Ano Novo. Mas o transporte para completamente somente as terças-feiras, nos demais dias é escasso, mas existe. Atualmente, para ir a Versalhes é melhor adquirir transporte com guia motorista. Você pode financiar a partir de sua agência ou ainda comprar on-line em sites como brasileirosemparis.com. Caso deseje tentar ir de trem, você deve consultar o site da RATP e ver quotidianamente quais linhas estão ou não funcionando.
      Mais uma vez, obrigada você! Boa viagem e Feliz Ano Novo!

    2. Olá, Estou com viagem marcada para segunda quinzena de janeiro, porém devido a greve ainda não fechei a hospedagem. Alguma dica sobre qual o melhor local para poder ficar ? Outra dúvida é a questão da segurança….as manifestações estão sendo pacíficas? Vou com crianças e estou receosa quanto a situação.

      1. Amanda
        Tudo bem?
        Muito provavelmente você e seus filhos não verão nada do movimento. São quase sempre longe dos pontos turísticos e sempre pacíficos com exceção de meia dúzia de black blocs que sempre aparecem para envenenar a situação. E neste caso tem sempre mais policiais que black blocs, a gente vê os carros chegando numa região e vai saindo. Meu filho de 14 anos anda com seus amigos pela cidade, greve ou não, nunca houve perigo.
        Amanda, como ainda não fechou hotel, busque um em região central.
        Não fique preocupada, não estamos em uma situação tensa nas ruas. Tudo transcorrendo como normal ( ou quase)
        Feliz Ano Novo e Boa Viagem

  8. Olá Td bem? Chego em Paris dia 29/12 e vou para a Genebra dia 4 e no dia 5 estarei no club med de ski da França Alpe D’Huez. Comprei TGV Lyria para Genebra e trem para Grenoble dia 5. Acha que terei problemas ? TGV Lyria também aderiu à greve?

    1. Oi Fabienne
      Como vai? Obrigada por sua visita ao Blog.
      Fabienne, tenho sido muito otimista quanto às estadas em Paris, mas infelizmente não posso dizer o mesmo para partidas de trem. Atualmente as notícias anunciam 80% do tráfego confirmado para as festas de fim de ano, é tudo o que sei. Tenho sugerido Blablabus, Blabacar e Flixbus como alternativa. Veja se encaixa em seu itinerário. As passagens são baratas, talvez você queira obter com antecedência para ter um plano B.
      Boa sorte e Feliz Ano Novo.

  9. Bom dia. Adorei seus conselhos. Vamos chegar aí dia 4, eu e minha esposa, por dois dias. Pretendemos caminhar e seu comentário é animador. Obrigado.

  10. Boa noite.
    Adorei os conselhos e a atenção nos comentários. Estou indo pela primeira vez a Paris dia 30.
    Me hospedarei no 14th arronddissement. Você teria alguma dica para transportes nesta região? Ao menos estou disposto a andar! haha
    Você sabe como esta o transporte do Aeroporto Charles de Gaule? E se os aeroportos estão funcionando normalmente?

    Muito obrigado. O seu blog deu uma tranquilizada. 🙂

    1. Oi Pedro.
      Tudo bem? Você vai estar perto da Gare Montparnasse. O metro segue funcionado mal, mas as vezes funciona, então consulte o site da RATP para saber se e quando esta linha funciona ou não.
      O Uber também não vai custar caro e os táxi são mais baratos, mas nunca na hora de rush.
      A caminha da Notre Dame pare no Jardim de Luxembourg e no mercadinho de Natal!
      Boa viagem e feliz ano novo!

  11. Olá!! Muito bom ler seus comentários incentivadores! Chego amanhã com meu namorado e ficaremos em Malakoff. Vamos embora por Charles de Gaulle dia 1 cedo (temos que estar no aeroporto as 8). Você acha que conseguimos ir de metrô até lá? Obrigada!!

    1. OI Inajara
      Como vai?
      Neste momento não recomendo uso de trens para aeroportos. O risco é muito grande. Pense em táxi ( em torno de 55 € } taxa de malas) ou traslado ( você pode financiar em agência de viagens).
      Feliz Ano Novo e Boa Viagem!

  12. Oi Silvia, estamos indo dia 30, eu, meu marido e nossas duas filhas. Vamos ficar no Generator e estou preocupada com o funcionamento dos pontos turísticos e do transporte. Alugar um carro é uma opção? Dirigir por Paris é complicado? Como estão as manifestações pela cidade e a disponibilidade de combustível?

    1. Oi Bia
      Alugar um carro pode te dar muito trabalho para encontrar estacionamento, pagar eventuais multas, usar estacionamentos pagos…
      Os pontos turísticos estão funcionando normalmente com exceção das terças-feiras. Metros também funcionam escassos, mas funcionam.
      Caminhar e usar Uber aqui e ali deve compensar mais que aluguel de carro.
      Para serviços de transporte localmente e em português você pode adquirir em agências no Brasil e uma vez em Paris sugiro os serviços da brasileirosemparis.com.
      Obrigada por sua visita ao blog e feliz ano novo!

  13. Ainda não defini,rs. Estamos em Veneza. Daqui vamos a Paris, por 2 ou 3 dias. Estamos esperando por causa da greve. Seus comentários ajudam bastante.

  14. Olá, Estou com viagem marcada para segunda quinzena de janeiro, porém devido a greve ainda não fechei a hospedagem. Alguma dica sobre qual o melhor local para poder ficar ? Outra dúvida é a questão da segurança….as manifestações estão sendo pacíficas? Vou com crianças e estou receosa quanto a situação.

Comments are closed.