Novidades na hotelaria novaiorquina

Já tem um tempinho que Nova York entendeu que era preciso inovar para renovar a hotelaria da cidade. Nos últimos cinco anos, diversos hotéis passaram por renovações e super liftings, e vários novos hotéis abriram suas portas na cidade, em distintos cantos.

Uma grande mudança foi a abertura da segunda unidade do grupo Four Seasons na até então mais isolada Downtown em 2016. O Four Seasons New York Downtown contribuiu enormemente para redesenhar a região, que se configura cada vez mais como uma excelente localização de hospedagem para quem quer explorar a cidade tanto em distintos cantos de Manhattan como também em outros distritos e vizinhanças. E o hotel ainda tem um belíssimo spa e uma filial do CUT by Wolfgan Puck.

Hoje, Downtown conta com um clima muito mais gostoso e tipicamente novaiorquino, com excitantes novos bares, novos cafés, novos restaurantes e dois grandes complexos de compras mais upscale, o Brooksfield Place e o mall Westfield, anexo à genial obra de Calatrava, o Oculus – e com muito menos fluxo de turistas que outros cantos da cidade. A região também ganhou diversas novas atrações, como o imperdível One World Observatory e o Museu e Memorial de 11 de setembro. E ganhou também novas opções em hospedagem, como as residências do AKA Wall Street, hotel membro da Preferred Hotels, para quem fica mais tempo na cidade e quer contar com a conveniência de um apartamento completo, com serviço incluído.

Mesmo os hotéis mais clássicos entenderam que é preciso reinventar e se adaptar aos novos tempos e novos perfis de público – principalmente na hotelaria de luxo. Um caso excelente é o do Mandarin Oriental New York que passou por remodelação, mas segue sendo um clássico na cidade – e adicionou aos seus atrativos grandes sacadas, como o genial bar The Aviary, filial da unidade premiada de Chicago. Instalado no 35o andar, oferece pratos e drinks fora do comum (espere malabarismos, cozinha molecular, nitrogênio líquido etc) e vistas panorâmicas para o Central Park.

Detalhe de uma das estrelas do cardápio do The Aviary, no Mandarin Oriental New York. Foto: Mari Campos

Fora de Manhattan, hotéis cada vez mais transados e focados nos millennials e hipsters entenderam que uma bela vista é fundamental para quem explora outros boroughs. Bom exemplo disso são os novos hotéis no Brooklyn e Williamsburg, sempre investindo em rooftop bars e/ou piscinas externas com vista. O belo Equinox Hotel New York, aberto recentemente em Hudson Yards, também entendeu esta máxima rapidinha e acertou imensamente nos janelões dos quartos, no delicioso rooftop e na escandalosa piscina com vista para Manhattan e uma visão privilegiada do The Vessel (que já é, aliás, o monumento mais fotografado de Nova York hoje).

O The Vessel visto do rooftop do Equinox Hotel, em Nova York. Foto: Mari Campos.

Em visita à cidade na semana passada (com apoio do NYCgo e da Copa Airlines), acompanhei pessoalmente a abertura de outros dois novos hotéis de estilos e budgets bem diferentes, e em pontos distintos de Manhattan. Primeiro, o belo Conrad New York Midtown, que abriu suas portas oficialmente no último dia primeiro de setembro. O hotel, que ocupa o edifício do antigo London Hotel, passou por um extreme makeover e reabriu inteiramente reformado.

Os quartos (que incluem sempre cápsulas de café e chás sem custos) ficaram todos espaçosos e elegantes, com cores discretas, e há obras de arte espalhadas por toda a propriedade. As suítes mais caras ficam nos andares mais altos e têm belas vistas para a cidade – como a suíte presidencial, com dois andares e vista para o Central Park. Há bom serviço de conciergerie e atendimento em geral bastante simpático. E o hotel ganha ainda um novo bar e restaurante até o final desta semana; com jeito de brasserie, a ideia do hotel é que o espaço atraia tanto turistas quanto novaiorquinos no almoço e no jantar.

Com foco nos millennials, a Moxy Hotels, marca budget jovem da Marriott Hotels, acaba de abrir no East Village o Moxy East Village, bem em frente ao lendário Webster Hall. Com design do Rockwell Group, o décor das áreas comuns chama a atenção, com homenagens a figuras históricas da música e da região. Os 286 quartos são em sua grande maioria bastante espartanos, com cama e banheiro integrados, inspirados nas cabines de navios – incluindo alguns com beliches. Mas as roupas de cama são de ótima qualidade e os chuveiros também.

Não há coffee/tea facilities nos quartos e água engarrafada custa exorbitantes (para uma propriedade que se diz econômica) 5 dólares a garrafa – mas há café e chá disponíveis gratuitamente no lobby pelas manhãs cedo. Há acesso gratuito à academia e empréstimo de bicicletas. Mas os maiores atrativos do hotel estão mesmo nas áreas sociais: no gostoso Alphabet Bar&Café no lobby, no belo restaurante de cozinha mediterrânea by Jason Hall Cathédrale e no underground lounge Little Sister, que mal abriu e já anda concorrido. O hotel anunciou também que tem planos de abrir um rooftop bar na primavera americana do ano que vem.

Em breve vai dar para ler review completinha destes hotéis clicando aqui.

Siga também nossas redes sociais para ficar por dentro de todas elas: Instagram @ HotelInspectors,facebook @HotelInspectors e  Twitter @HotelInspectors.
.

Anaheim Marriott lobby

Novo design dos quartos nos hotéis Marriott

Cores claras, com predominância de azuis e cinzas, piso em madeira, móveis modernos, chuveiro walk-in com porta de correr em vidro, detalhes charmosos no décor aqui e ali… Que surpresa boa foi o Anaheim Marriott, que recebeu a delegação brasileira durante o IPW 2019. A maior feira de turismo dos Estados Unidos foi realizada no início deste mês em Anaheim, onde fica a Disneyland, a 60km de Los Angeles. O hotel é bem localizado tanto para este tipo de evento (fica a menos de cem metros do Centro de Convenções) quanto para o visitante a lazer, já que também está perto da Disneylândia (15 a 20 minutos a pé).

Um dos novos quartos do Anaheim Marriott | Foto de Carla Lencastre

Leia mais: Novidades na hotelaria americana anunciadas no IPW 2019

Os 1.030 quartos do Anaheim Marriott estão tinindo depois de uma renovação de US$ 32 milhões, feita ao longo de dois anos e concluída em março. Além de quartos redesenhados em estilo contemporâneo, o hotel tem piscina ao ar livre, fitness center, loja de conveniência, bom bar e restaurante (nFuse Bar + Kitchen, aberto em 2015, com drinques, carta de bourbon e cozinha do Sul da Califórnia), nova pizzaria e mercado com café Starbucks.

Um resort que é um oásis no deserto do Vale da Morte, na Califórnia

Andaz West Hollywood, hotel repleto de histórias do rock em Los Angeles

Hotel novo no aeroporto de Los Angeles

Diferenças entre o Marriott de Anaheim e o de Burbank

No fim de semana retrasado, alguns dias depois do IPW, fiz check-in no Los Angeles Marriott Burbank Airport, a menos de 10km do Universal Studios Hollywood e do Warner Bros Studios. São apenas 65 quilômetros entre este Marriott e o de Anaheim, mas quanta diferença. O lobby com cara de novo levava a um quarto confortável, porém com decoração ultrapassada, com móveis em madeira escura, carpete e, no banheiro, aquele clássico chuveiro dentro de uma banheira minúscula que não é nem um bom chuveiro nem uma boa banheira, arrematado com cortina de plástico e torneiras difíceis de abrir. Pesquisa feita pela própria Marriott já mostrou que maioria dos hóspedes odeia este modelo de chuveiro-banheira.

Quarto do Marriott Burbank Airport | Foto de Carla Lencastre

No site, o hotel anuncia seus quartos como modernos, o que definitivamente não é o caso. Talvez em 2015, quando houve um investimento de US$ 13,5 milhões em reformas. O melhor do Marriott Burbank é o bar ao livre E.D.B. Ainda que fique ao lado do estacionamento, a luz da Califórnia deixa tudo mais bonito e a carta de drinques e petiscos é convidativa. O hotel tem também restaurante, o Daily Grill (de cozinha americana), piscina ao ar livre, fitness center e quartos com vista para a pista do Aeroporto de Burbank.

No site da Marriott International, uma das maiores redes de hotelaria do mundo, há uma lista dos hotéis com a marca Marriott que já tiveram os quartos redesenhados. São mais de 100 nos Estados Unidos e 20 na Europa. Está desatualizada, mas vale conferir antes de fazer a próxima reserva. O Anaheim Marriott, com a reforma concluída há apenas três meses, ainda não aparece lá, nem o Ventura Beach Marriott (fotos no nosso Instagram), também na Califórnia.

Um dos hotéis listados é o Marriott Marquis Chicago, onde me hospedei na inauguração, no final de 2017. Os quartos já foram originalmente pensados para oferecer um design contemporâneo e você pode ler um pouco sobre eles nesta reportagem para a revista Panrotas (página 16). O Chicago Marriott Downtown Magnificent Mile, que recebeu a delegação brasileira durante o IPW de 2014, é outro que também foi redesenhado e mudou muito de cara.

E, é sempre bom lembrar, em pleno 2019 a Marriott continua cobrando o acesso à internet para quem não for associado do seu novo programa de fidelidade, Marriott Bonvoy. Se este for o caso do hóspede, a inscrição pode ser feita no momento do check-in.

Hotel Inspectors está também no Instagram @HotelInspectors, no facebook @HotelInspectorsBlog e no Twitter @InspectorsHotel

As novidades do Sheraton Reserva do Paiva

Nos últimos anos, a Reserva do Paiva, no Cabo de Santo Agostinho, se desenvolveu rapidamente no mercado imobiliário e vem atraindo também cada vez mais turistas à região de belas praias que o rodeia – graças também ao hotel Sheraton Reserva do Paiva, que desencadeou considerável improvement na infra-estrutura regional.

O hotel, inaugurado há quase cinco anos, o Sheraton Reserva do Paiva me convidou neste último mês de maio para uma nova hospedagem ali, justamente para conferir as novidades da propriedade implementadas nos últimos tempos (a review da primeira vez que me hospedei ali pode ser conferida aqui).

Com arquitetura que acompanha o conceito arquitetônico da Reserva do Paiva (pautado em prédios baixos e extensas áreas verdes), tem localização bastante favorável para quem quer garantir sossego na hospedagem mas ter fácil acesso às rotas para explorar as praias da região. Apesar de bastante afastado de Recife propriamente dita, incluindo seu centro histórico e suas zonas mais boêmias e comerciais, a propriedade é quase pé na areia – a gente só precisa atravessar a avenida em frente para chegar ao mar. Localizado entre mar, área de mangue protegida e mata atlântica, o hotel se converteu também numa escapada tradicional de final de semana para muitos recifenses, como pude constatar durante esta última visita.

A orientação para o turismo de negócios e convenções ali também é grande, incluindo um moderno centro de convenções e eventos com mais de 1,500 metros quadrados para mais de duas mil pessoas. E a sustentabilidade tem espaço garantido, com projetos especiais de iluminação sustentável, controle da água, reciclagem, isolamento térmico e acústico.

As áreas comuns do hotel continuam chamando atenção pelo respeitável acervo de arte contemporânea que exibem em suas paredes. São quase 300 quartos, todos com vista para o mar ou para o manguezal e todos equipados com a premiada Sheraton Sweet Sleeper Bed. Minha hospedagem desta vez aconteceu em um quarto Sheraton Club, com acesso ao ótimo Sheraton Club Lounge o dia todo – incluindo um muito simpático café da manhã diário e happy hour com petiscos e bebidas alcoólicas todo final de tarde (encontrei ali, aliás, a melhor qualidade de serviço de todo o hotel). Único senão do club lounge é que, enquanto é um oásis de paz, sossego e silêncio durante a semana, costuma ser bastante cheio e barulhento aos finais de semana.

As opções de gastronomia por ali melhoraram muito em relação à minha primeira visita, no final de 2014 e constituem as principais melhoras da propriedade nestes últimos tempos. O restaurante principal, o Paiva Grill (que por muito tempo foi o único restaurante do hotel), funciona para café da manhã, almoço e jantar em formato buffet. Mas o hotel ganhou também o ótimo Reserva, que serve jantares à la carte (com ótima opção de menu degustação de cinco passos); os pratos rápidos do Lobby Bar (incluindo deliciosos sushis preparados ali mesmo, à vista dos hóspedes, nas noites de sexta-feira), e um delicioso restaurante à beira-mar no beach club para almoços descontraídos (inclusive bem tardios).

Desta vez, por problemas de serviço interno do hotel, infelizmente não consegui fazer uso de seu Sheraton Shine Spa, o spa interno com quase 600 metros quadrados de área (não posso atestar sobre a qualidade do mesmo agora, mas usei na visita anterior e tinha gostado bastante). Ao lado, um ,Sheraton Fitness Center de 120 metros quadrados. Piscina de adultos, piscina infantil, kids club, quadra poliesportiva, mini-golf e mesas de jogos completam a área de lazer do prédio principal.

Mas a área mais gostosa para o lazer fica à beira-mar, do outro lado da avenida que passa em frente ao hotel: o Sheraton Reserva do Paiva Beach Club. São dez minutinhos de caminhada ou cinco minutos de carro, em vans de cortesia que fazem esse trajeto ida e volta a cada meia hora. Além do restaurante e do bar completo, há piscina exclusiva, serviço de praia (embora a praia ali não seja própria para banho) e uma imensa área verde com direito a tatames, futons e espreguiçadeiras. A melhor pedida ali é usar o beach club como base e caminhar pela praia cerca de 3km para chegar às deliciosas piscinas naturais do Paiva (sossegadas, quase vazias, e boas para banho mesmo na maré alta). chegar a uma área mais gostosa para banhos, com piscinas naturais.

Vale saber que, logo em frente ao beach club, foi aberto um pequeno complexo de gastronomia e entretenimento, com boas opções para quem quer variar o cardápio das refeições sem se distanciar do hotel – incluindo uma filial do gostoso Beijupirá.

Mais detalhes da hospedagem no Sheraton Reserva do Paiva podem ser conferidos aqui.

Siga também nossas redes sociais para ficar por dentro de todas elas: Instagram @ HotelInspectors,facebook @HotelInspectors e  Twitter @HotelInspectors.

ILTM Latin America traz novidades da hotelaria

Na semana passada, a ILTM Latin America, mais importante evento de turismo de luxo na América Latina e um dos maiores do mundo, discutiu os rumos do turismo de bem-estar e revelou as principais novidades da hotelaria internacional.

Apostando no tema #backtolife, a feira reuniu em São Paulo os mais importantes DMCs, hoteleiros, operadores, agentes de viagem e mídia do mundo, em edição recorde (foram 100 novos expositores e 100 novos agentes a mais este ano).

O evento ressaltou a importância das viagens de bem-estar e das experiências cada vez mais exclusivas e personalizadas como chave fundamental para o mercado de luxo. Afinal, só em 2017, consumidores latino-americanos gastaram quase 35 bilhões de dólares no turismo de bem-estar e este número ainda deve crescer bastante nos próximos anos.

Durante o evento, representantes das principais propriedades e grupos hoteleiros do mundo apresentaram suas adaptações frente a este novo cenário – além de inúmeras aberturas de hotéis para os próximos meses e anos, é claro.

Detalhe da piscina aquecida do novo Hyatt de Santiago. Foto Divulgação.

O grupo Hyatt anunciou seus serviços Hyatt Privé, que funcionam como uma espécie de consultor exclusivo de viagens para os mais importantes clientes do grupo, desenvolvendo para eles experiências exclusivas em cada estadia em mais de 35 destinos. Nas futuras aberturas, destacaram o Hyatt Centric San Salvador, o Andaz Palm Springs e o Park Hyatt Kyoto, para este ano, e Park Hyatt LA, Park Hyatt Niseko, Park Hyatt Los Cabos, Grand Hyatt Cayman, Park Hyatt Mexico City e Andaz Turks & Caicos para os próximos dois anos. E o grupo ainda ressaltou a importância da nova associação do programa World of Hyatt com a American Airlines para acúmulo e uso de pontos.

A rede Marriott, através de sua vice-presidente global de Vendas, Louise Bang, destacou o novo papel da hotelaria neste cenário. Com a sociedade cada vez mais consciente sobre saúde, marcas hoteleiras adotaram o bem estar como parte integral de sua missão, maximizando o design de quartos (incluindo mais espaço e espelhos inteligentes que podem guiar e interagir com os hóspedes durante seu treino), criando opções de cardápios mais saudáveis e, de caminhadas a aulas de culinária, ampliando as experiências de bem-estar para seus hóspedes.  

Com portfólio diverso de marcas tão diferentes entre si (mas com personalidades tão bem definidas), a Marriott também anunciou durante a feira mais novidades de seu novo programa Bonvoy, que agora possibilita aos hóspedes trocar seus pontos também por experiências exclusivas em cada propriedade. Das principais renovações do grupo, ganharam destaque as propriedades de Dorado Beach, Roma e Porto Rico. Nas inaugurações hoteleiras, destaque para Bulgari Shanghai, JW Marriott Maldives, W Costa Rica, W Dubai The Palms, W Aspen, W Ibiza, Hôtel de Beni Paris, Solaz Los Cabos, Matilde Palace Budapest, Times Square Edition e The West Hollywood Edition.

Detalhe do Acqualina, um hotel do portfólio da Leading Hotels of the World. Foto: Mari Campos

A Leading Hotels of the World, que agora conta com mais de 400 hotéis em 80 países (85% deles hotéis familiares e 95% administrados de forma independente), confirmou a entrada de 30 novas propriedades a seu portfólio neste 2019. Durante a coletiva de imprensa, a diretora de marketing e PR Sheila Mueller destacou o sério e longo processo para aceitação de uma nova propriedade no portfólio e como os concierges dos hotéis da Leading desempenham papel fundamental nas experiências cada vez mais exclusivas criadas para os hóspedes.

A Accor Hotels anunciou as novidades de seu novo programa ALL (Accor Live Limitless) para os próximos meses e a mudança de foco da empresa no mercado de luxo – incluindo um novo approach para a marca Sofitel, que passa a usar o slogan “the French way”. O grupo também anunciou novos investimentos na marca Pullman, que ganha novas unidades na América Latina, e destacou as futuras aberturas dos hotéis Fairmont em Los Angeles e no Rio de Janeiro (o primeiro Fairmont da América Latina), do Sofitel Cartagena, do Pullman São Conrado, do M Gallery Buenos Aires e dos novos Raffles em Dubai, Londres e Boston.

A rede Mandarin Oriental enfatizou a esperada reabertura do Mandarin Oriental Hyde Park London (sobre o qual falaremos mais aqui adiante) as aberturas da rede em Dubai, Doha, Lago di Como e Beijing (que tem os maiores quartos da cidade e já virou flagship na China). Ganhou destaque também o Mandarin Oriental Santiago (que visitei neste mês), com inauguração oficial confirmada para dezembro. A maior novidade ficou por conta do fato da rede já ter confirmada a inauguração de uma segunda unidade na América Latina, também no Chile, em Viña del Mar, nos próximos anos.

A Four Seasons, que vem investindo pesado em iniciativas de marca (como o seu muito bem sucedido private jet), enfatizou as próximas aberturas do grupo em Boston (no mais alto edifício da cidade), em Napa Valley, Filadelfia, Los Cabos, Madri, Bangkok e uma segunda unidade em Megève (Les Chalets du Mont D’Arbois).

Durante a ILTM Latin America, a BLTA (Brazilian Luxury Travel Association, que reúne em seu portfólio 34 hotéis de luxo brasileiros independentes) inaugurou um grande mural (9,7 m x 3,3 m) em parceria com o artista Fernando Garroux, o Garu, para ressaltar a diversidade e a importância de se preservar os biomas brasileiros, já que turismo de luxo e sustentabilidade são indissociáveis (dá pra ler mais sobre o mural aqui).

Dá pra ler mais sobre outras novidades e tendências reveladas na ILTM Latin America 2019 também aqui.

Para ficar por dentro destas e de outras histórias de hotelaria, acompanhe a gente no Instagram @ HotelInspectors, no facebook @HotelInspectors e no Twitter @HotelInspectors.

Harrogate

Novos hotéis na Escócia e na Irlanda do Norte

Estive semana passada no ExploreGB, o mais importante evento de turismo do Reino Unido, organizado pelo VisitBritain. Durante dois dias, este ano em Harrogate (foto no alto), cidade de 85 mil habitantes no norte da Inglaterra, centenas de fornecedores apresentaram seus produtores para compradores de todo o mundo, incluindo o Brasil. Destaco a seguir alguns dos hotéis que me chamaram a atenção na feira: cinco propriedades na Escócia, todas na categoria boutique, e três na Irlanda do Norte.

Para ler mais sobre esta sexta edição do ExploreGB, clique aqui e aqui.

Harrogate Convention Center, sede do ExploreGB 2019 | Foto de Carla Lencastre


Cinco hotéis na Escócia

Emperor Suite do Fife Arms, hotel na Escócia
A Emperor Suite do Fife Arms | Foto de divulgação

The Fife Arms. O Príncipe Charles foi um dos primeiros a fazer site inspection neste hotel de luxo que reabriu no fim do ano passado depois de quatro anos de obras de renovação. Sério! Ele é amigo dos novos proprietários, galeristas de arte em Londres. The Fife Arms fica em Braemar, no Cairngorms National Park, em uma construção vitoriana com 46 quartos e mais de dez mil obras de arte, incluindo trabalhos de Pablo Picasso e Lucian Freud.

Projeto da fachada do novo DogHouse Hotel | Divulgação

The DogHouse. Será o primeiro hotel no Reino Unido da cervejaria artesanal escocesa BrewDog, que estreou na hotelaria ano passado nos Estados Unidos, em Columbus, Ohio. O beer hotel britânico terá 26 quartos em estilo industrial (o oposto do clássico Fife Arms), todos com vista para a cervejaria. O DogHouse abre este ano em Aberdeenshire, na sede da BrewDog

Quarto com vista para a cervejaria no novo DogHouse | Divulgação

Fingal Edinburgh. Inaugurado no início do ano em Edimburgo, é um hotel flutuante de luxo. São 23 cabines, todas diferentes entre si, em um barco de 1963 que era usado para manutenção de faróis escoceses no Mar do Norte. O Fingal está ancorado na Alexandra Dock, ao lado do Royal Yatch Britannia, que serviu à família real por décadas. Na minha wish list!

The Grandtully Hotel by Ballintaggart. Hotel de luxo superexclusivo, com apenas oito quartos. Fica em Petershire, entre Edimburgo e Glasgow, com foco em comida e bebida. Aberto no final do ano passado, é do mesmo grupo da escola de culinária Ballintaggart Farm.

Cromlix Hotel. O hotel do tenista Andy Murray, também em Perthshire, já tem cinco anos, mas incluo aqui porque no final do ano passado ele foi considerado o melhor do Reino Unido pelos leitores da prestigiada revista britânica Condé Nast Traveler. Visitei o Cromlix em uma outra viagem, e é realmente uma bela propriedade nas Lowlands. Em uma mansão vitoriana restaurada, tem dez quartos, cinco suítes e um ótimo restaurante, Chez Roux.

Leia mais

The Beaumont, joia da hotelaria londrina

A nova carta de drinques do Shangri-La London

Três novos hotéis na Irlanda do Norte

Até o final de 2020, a Irlanda do Norte espera ter dez mil quartos de hotéis, em investimentos que chegam a um total de 500 milhões de libras (mais de R$ 2,5 bilhões). Somente em 2018, foram abertos mil novos quartos, acompanhando o aumento de visitantes internacionais.

Hastings Grand Central Hotel Belfast. Com 300 quartos em 23 andares, é o mais novo hotel do grupo local Hastings. Inaugurado em meados do ano passado, está localizado no prédio mais alto da capital e tem um bar com vista na cobertura, The Observatory.

AC Hotel Belfast. Também aberto ano passado, o hotel da bandeira da Marriott International tem 188 quartos em um prédio novo, com janelas envidraçadas de alto a baixo, na área do porto. O restaurante é assinado pelo estrelado chef francês Jean-Christophe Novelli.

Killeavy Castle Estate. Instalado em uma construção da primeira metade do século 19, o luxuoso hotel boutique acaba de reabrir, depois de três anos de reforma milionária. São apenas quatro quartos a uma hora de carro ao sul de Belfast, em Armagh. Um prédio vizinho, a Mill and Coach House, abriga mais 45 quartos com décor contemporâneo.

Leia mais

O premiado bar do Savoy, em Londres

Hotel Inspectors está também no Instagram @HotelInspectors, no facebook @HotelInspectorsBloge no Twitter @InspectorsHotel