Férias: curiosidades do velho mundo

Pois é, como bem lembrou a última edição do Panrotas, quando os clientes estão de férias,  profissionais do turismo estão trabalhando.  Eu costumo brincar dizendo que ou trabalhamos servindo os clientes ou trabalhamos buscando novos clientes, o ciclo é ininterrupto. Brincadeira a parte, a verdade é que para nossa classe profissional “Férias” é coisa séria. Então, aproveitando o tema da última edição do Panrotas, vou compartilhar algumas curiosidades sobre o assunto aqui do velho mundo.

  • Na antiguidade Romanos ricos construíam em terras agrícolas casas secundárias chamadas de Villae onde faziam escapadas para fugir das primeiras grandes cidades por eles construídas.
  • As primeiras férias escolares foram, de fato, criadas pela igreja entorno de 1250 para que as crianças pudessem ajudar seus pais nas colheitas, a pausa era denominada “vendange” ou vindima, nome que subsiste até hoje para as colheitas de uvas na França.
  • Quanto aos adultos, desde a Idade Média, Reis e nobres mudavam de castelo em castelo levando seus pertences em busca de paz social e belas paisagens. Esses mesmos pertences, devido à mobilidade das Cortes passaram a ser chamados de mobília ou móveis.   Quanto aos menos abastados, poucos viajavam. Dentre os poucos viajantes, a peregrinação religiosa era a maior motivação.
  • Porém é no início do século XIX que a burguesia inglesa, nascida com a revolução industrial, começa a se ausentar das grandes cidades durante períodos de calor para fugir da poeira exalada pelas fábricas alimentadas a carvão e do desconforto causado pela mistura da poluição e calor. Aí, em 1841,  começa a história da primeira agencia de viagens, existente até hoje,  criada por Thomas Cook.

Férias , curiosidades Paris

  • Em 1855 Thomas Cook organizou e vendeu o primeiro circuito de viagens da história, o pacote incluía transporte, alojamento e refeições e tinha como destino  Bruxelas, Cologne, Heidelberg, Strasbourg e finalmente Paris para a visita da Exposição Universal de Paris daquele ano.  Em 1868 Thomas Cook inventou o primeiro voucher, entregue à participantes de um cruzeiro sobre o Rio Nilo. Como mencionado no parágrafo anterior, somente pessoas ricas podiam usufruir de tais regalias.

  • Graças as greves trabalhistas dos anos 1930, a classe trabalhadora ( e isso inclui agentes de viagens do século XXI)  também têm férias pagas.

  • A França concedeu férias pagas à sua população 6 anos após o Brasil, em junho de 1936. Hoje, os trabalhadores franceses desfrutam de cinco semanas de licença remunerada por ano. Número que classifica a França como 4° país em termo de dias de férias concedidos, juntamente com Portugal, Espanha e Suécia. Entre os mais generosos da Europa encontramos a Finlândia, (39 dias de férias pagas ao ano), a Áustria (38 dias) e a Grécia (38 dias).
  • As férias escolares francesas acontecem durante o verão, nos meses de julho e agosto. Outros periodos de 15 dias são concedidos em abril, outubro e dezembro.
  • A minha melhor dica para quem busca férias com bons preços é evitar as altas temporadas e férias locais. Porém a boa noticia é que esta dica não se aplica a Paris. Pois as férias em geral representam para o parisiense ( e porque não dizer o francês) a ocasião de visitar parentes, viajar dentro e fora da França, aventurar-se, mudar de ares ou simplesmente descansar. E, durante as férias de verão, o francês busca majoritariamente sol e praia.  Portanto, não é surpreendente ver um grande influxo da população parisiense e francesa à beira do Oceano Atlântico, no Mar Mediterrâneo ou no Mar do Norte.
  • Segundo estudos estatísticos, o francês que não têm uma casa de veraneio tem prazer em economizar, tanto em acomodação quanto em transporte. E para isso, a economia colaborativa tem se mostrado uma grande aliada das férias daqui. Airbnb para moradia, BlaBlaCar para transporte. Outro setor fértil e acessível para o verão: o camping.  57% dos franceses que optaram pelo camping afirmam ter feito a escolha devido à excelente relação custo-benefício.
  • E para terminar a lista de curiosidades, em setembro 2017, Paris dispunha de 86 725 ofertas Airbnb. 1 apartamento da cidade sobre 19 serve para locação. A oferta de alojamentos é ampla e os preços hoteleiros tendem a baixar. (Fica a dica)

 

 

Postagens relacionadas

Published by

Silvia Helena

Após breves passagens pela Faculdade Metodista de São Bernardo e Belas Artes de São Paulo, aos 18 anos fui estudar no Canadá, onde vivi durante 23 anos. Lá me formei em História da Arte pela Universidade de Montréal, estudei turismo no Collège Lasalle de Montréal e no Institut de Tourisme et Hôtellerie du Québec. Comecei minha carreira na área trabalhando em Cuba. Durante os anos vividos no Canadá, entre outras coisas, fui guia de circuitos pela costa leste e abri minha primeira agência de receptivo para brasileiros. Há dez anos um vento forte bateu nas velas da minha vida me conduzindo até França. Atualmente escrevo de Paris, onde vivo e trabalho dirigindo a empresa de receptivo, a Holatour.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *